DF tem 42.539 jovens com 13 anos aptos a serem vacinados contra Covid

Adolescentes serão imunizados a partir de terça-feira (21/9). Além disso, 1.090 idosos vão receber dose de reforço contra o novo coronavírus

Com a decisão de imunizar adolescentes com 13 anos, o Distrito Federal poderá levar a vacina contra a Covid-19 para os braços de 42.539 jovens. O levantamento foi calculado pela Secretaria de Saúde do DF.

A despeito da recomendação contrária do Ministério da Saúde, o governador Ibaneis Rocha (MDB) decidiu vacinar os adolescentes, a partir de terça-feira (21/9).

Na mesma data, o DF também vai aplicar a dose de reforço da vacina em idosos residentes em Instituições de Longa Permanência (ILPIs). São 1.090. Trata-se do primeiro grupo imunizado no DF.

A decisão do governador e da Secretaria de Saúde pelo avanço da vacinação teve como referências análises de uma série de instituições sanitárias brasileiras.

Veja lista das instituições:

Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass)

Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems)

Sociedade Brasileira de Imunizações

Sociedade Brasileira de Infectologia, a Sociedade Brasileira de Pediatria

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)

A própria Anvisa, por exemplo, autorizou o uso da vacina contra a Covid-19 do laboratório Pfizer/BioNTech para aplicação em adolescentes de 12 a 17 anos.

O governo pretende divulgar os pontos de imunização dos jovens com 13 anos a partir de segunda-feira (20/9).

Até sábado (18/9), o DF havia vacinado com a 1ª dose 2.124.079 pessoas, e a 2ª dose chegou para 1.032.661 brasilienses. No caso da dose única, 56.964 foram protegidos contra Covid. Na conta do público adolescente, foram imunizados 116.174 jovens.

Governo federal recomenda não vacinar

Na quinta-feira (16/9), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que foram registrados cerca de 1,5 mil eventos adversos à vacina e atribuiu a suspensão da campanha ao que chamou de “desorganização” dos estados e municípios.

Queiroga ainda enfatizou que há casos em que imunizantes da AstraZeneca, Coronavac e Janssen foram aplicados nesse público. Apenas a vacina Pfizer está autorizada para este grupo. Há indícios de episódios no DF inclusive. Após a divulgação, o governador Ibaneis Rocha determinou investigação.

“Falei de maneira reiterada sobre a importância de se observar as recomendações do PNI. Temos um país continental, 26 estados, DF, 5.570 municípios. Precisamos falar o mesmo idioma, a mesma língua, senão não vamos progredir. Se cada um quiser falar uma língua, não vamos nos entender”, afirmou.