DF: Justiça solta homem que esfaqueou ex-companheira após separação

Segundo a decisão, até o dia do julgamento, o homem responderá em liberdade provisória, com uso de tornozeleira eletrônica

atualizado 22/03/2022 18:48

FacaDivulgação/PCDF

A Justiça do Distrito Federal soltou o homem de 45 anos que havia sido preso por esfaquear a ex-mulher, 41, na região do abdômen, domingo à noite (20/3), na Vila Buritis, em Sobradinho 2.

Segundo a decisão da audiência de custódia, até o dia do julgamento, o homem responderá em liberdade provisória, com uso de tornozeleira eletrônica. Além disso, ele está proibido de se aproximar da mulher e dos familiares dela.

De acordo com a investigação da 13ª DP (Sobradinho), o homem, inconformado com a separação há cerca de três meses, teria chegado à casa da ex e a atacado com uma faca (foto em destaque). O caso é investigado como tentativa de feminicídio.

0

O suspeito foi localizado pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) no Hospital Regional de Sobradinho (HRS), com um ferimento no ombro. A PCDF não soube informar como ele se machucou.

A ex-esposa precisou passar por cirurgia por causa da perfuração no abdômen. Ela se encontra em observação no mesmo centro médico.

De acordo com o delegado Hudson Maldonado, da 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho), o homem ameaçava a vítima de morte por causa da separação. “Caso a ex-mulher arranjasse outro companheiro, ele a mataria”, afirmou o policial.

Na noite do crime, ocorria uma reunião familiar na casa da vítima. O homem, então, teria se sentado no meio fio, em frente à casa dela, mostrando-se indignado com a situação. Momentos depois, ela saiu no portão e foi atacada, segundo relato em boletim de ocorrência. A mulher tentou conter, de acordo com o delegado, o ex-companheiro, mas acabou ferida no abdômen.

Segundo a irmã da vítima, o suspeito seria violento, ciumento e fazia uso de bebida alcóolica constantemente. “Quando bebia, ficava agressivo”, afirmou.

Se condenado por tentativa de feminicídio, pode pegar de 4 a 20 anos de prisão.

Mais lidas
Últimas notícias