DF: homem e adolescente são agredidos ao tentarem roubar uma bicicleta

O maior de idade havia sido absolvido pela Justiça por morte de filho de bombeiro. Ele foi detido junto a menor nesta quinta, em Ceilândia

Divulgação/Facebook/PCDFDivulgação/Facebook/PCDF

atualizado 19/09/2019 12:12

A equipe da 24ª Delegacia de Polícia (Setor O de Ceilândia) prendeu um homem e apreendeu um adolescente infrator, acusados de roubarem uma bicicleta na madrugada desta quinta-feira (19/09/2019), em Ceilândia. Os agentes encontraram o produto em posse dos criminosos. Jonathan Sousa Lopes e o adolescente ameaçaram a vítima para assaltá-lo. Entretanto, pessoas que passavam pelo local viram a cena e os suspeitos acabaram agredidos. E, mais tarde, detidos por policiais.

Durante as investigações, a equipe percebeu que um dos criminosos, Jonathan, tinha sido investigado por latrocínio (roubo seguido de morte). O crime vitimou o filho de um bombeiro militar. O caso ocorreu em 13 de novembro de 2018, em Ceilândia. Na ocasião, Jonathan foi absolvido pela Justiça.

PCDF/Reprodução
Jonathan Sousa Lopes, absolvido da morte de Osterno Guilherme, no Setor O

Jonathan foi encaminhado à carceragem da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), onde permanece à disposição da Justiça. O menor que estava com ele durante o roubo da bicicleta foi examinado pela equipe médica do Hospital Regional de Ceilândia. Depois, seguiu para a Delegacia da Criança e do Adolescente II (DCA2).

Suspeita anterior

A Polícia Civil prendeu, em 14 de novembro de 2018, um homem de 20 anos, suspeito de matar o adolescente Osterno Guilherme Martins Linhares de Sousa, 16 anos, com um tiro no rosto, durante assalto na tarde do dia anterior. O crime ocorreu na QNO 18, Setor O, em Ceilândia. Guilherme, como era chamado, morreu porque o celular entregue ao bandido era “velho demais”, segundo contaram testemunhas.

Jonathan Sousa Lopes estava em casa, no mesmo bairro onde ocorreu o assassinato, e foi reconhecido por pessoas que presenciaram a tragédia, após ser encaminhado à 24ª Delegacia de Polícia (Setor O). Os agentes estavam há mais de 28 horas em diligência em busca do suspeito.

Segundo o delegado responsável pelas investigações, Ricardo Viana, o rapaz negou a prática do crime e disse aos policiais ter passado a terça-feira inteira dentro de casa. Depois, a Justiça confirmou a versão de Jonathan e o absolveu.

 

Últimas notícias