Crianças vítimas de incêndio no DF serão homenageadas por creche

Espaço de recreação do local em que os irmãos estudavam terá o nome de Adryan, enquanto a nova sala de atividades será batizada de Kyara

atualizado 03/03/2020 15:53

Os irmãos Adryan Pereira, 4 anos, e Kyara Pereira, 2, receberão, na próxima sexta-feira (06/03), uma homenagem da creche em que estudavam. Os pequenos foram vítimas do incêndio que destruiu a casa em que viviam em Samambaia, no dia 23 de fevereiro.

Na instituição, um espaço para recreação que está sendo construído receberá o nome do garoto. A nova sala de atividades do local, por sua vez, será batizada com o nome da menina.

De acordo com Vita Barbosa, responsável pela comunicação da creche Associação Santos Inocentes, os dois ambientes terão placas. O primeiro se chamará “Espaço de Convivência Infantil Adryan Henrique Pereira”. O segundo, “Sala de Múltiplas-Atividades Kyara Pereira”.

Na área localizada na QN 433 de Samambaia, todas as dependências da creche são novas. Nesta sexta, os espaços com os nomes das vítimas do incêndio serão inaugurados em uma cerimônia de memória aos pequenos. “Vai ter uma homenagem quando as placas forem colocadas. Haverá toda uma solenidade”, afirmou Vita.

A inauguração dos espaços ocorrerá às 16h, na instituição que fica no Conjunto B da QN 433 de Samambaia Norte.

“As crianças deixaram um vazio muito grande, uma tristeza enorme em nós. Sentimos muito por toda essa tragédia”, lamentou ela. “[A homenagem para os pequenos] é algo que podemos fazer em meio a tantas notícias ruins que recebemos”, completou.

O caso

O fogo na residência localizada no Conjunto 17 da QR 425 de Samambaia começou por volta das 20h do dia 23 de fevereiro. De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF), cinco pessoas receberam atendimento. Daniel Pereira Lopes, 35 anos, padrasto das crianças, teve 95% do corpo queimado e morreu no hospital. Katlen Pereira, bebê de 6 meses, sofreu queimadura de 2° grau no rosto e braço. As chamas atingiram 70% do corpo de Adryan, que morreu três dias depois.

Kyara faleceu ainda no imóvel. A mãe das crianças, Romária Pereira da Silva, 31, estava em estado de choque e foi encaminhada para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT), mas foi liberada no dia seguinte. Após a tragédia, uma equipe de psicólogos do Hospital de Base passou a dar assistência e acompanhar a mulher.

Equipes do CBMDF e do Instituto de Criminalística, da Polícia Civil do DF (PCDF), fizeram a perícia, porém, o resultado pode demorar até 30 dias para ficar pronto. A residência teve quatro cômodos totalmente queimados: sala, cozinha e dois quartos. O caso está sob os cuidados da 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia Norte).

Últimas notícias