Coronavírus: vendas sobem 300% e máscaras começam a faltar no DF

O boom na procura pelo equipamento de proteção ocorreu após o anúncio de que brasileiros vindos da China chegariam a Anápolis (GO)

A venda de máscaras cirúrgicas no DF aumentou 300% nos últimos dias e já começa a faltar nas prateleiras de farmácias da capital. A busca pelo item de proteção apresentou crescimento quando os primeiros casos de coronavírus foram confirmados na cidade Wuhan, na China, em 13 de janeiro.

Porém, nos últimos dias, com o anúncio do governo federal de que a Força Aérea Brasileira (FAB) buscaria 34 brasileiros no epicentro da epidemia e levaria para Anápolis (GO), as compras subiram vertiginosamente.

O agravante é que a indústria fornecedora do material é da própria China e não há previsão de abastecimento. “As empresas não estão dando conta. Depois do anúncio da chegada dos brasileiros da China, as máscaras acabaram. Não estão faltando só nas drogarias mas também em consultórios de dentistas e hospitais”, afirmou o presidente do Sindicato das Farmácias do DF (Sincofarma), Messias Vasconcelos.

A entidade representa as 1,7 mil farmácias do DF, muitas com proprietárias que também abastecem consultórios. “Alguns dentistas estão desesperados, pedindo para guardar máscaras para eles. Não tem como. Nosso fornecedor é da China e nada está vindo de lá, nem de avião, nem de navio. Em Goiânia também não conseguimos encontrar. Eles terão que atender 10 pacientes com uma máscara só”, alertou o presidente do Sincofarma.

Segundo Vasconcelos, as empresas que fornecem para o Governo do Distrito Federal também recebem as máscaras da China. “Vai faltar nos hospitais”, disse.

Proteção

As máscaras cirúrgicas são usadas para proteção contra infecções. O uso delas é recomendado nas regiões mais afetadas pelo coronavírus, embora não garanta 100% de eficácia.

Com a rápida disseminação da doença, a venda dos equipamentos cresceram assustadoramente também na China. As mais procuradas são as mais baratas, feitas de papel, usadas comumente no país devido à poluição.

O último balanço das autoridades de saúde chinesas, divulgado na manhã de quinta-feira (06/02/2020) no país asiático, noite de quart (05/02/2020) no Brasil, registrou ao menos outras 70 mortes por coronavírus na província de Hubei, levando o número de fatalidades no território continental chinês a 562 – deixando o total mundial em 564, com as vítimas em Hong Kong e nas Filipinas.

Quarentena

Os brasileiros repatriados de Wuhan –epicentro do surto de coronavírus –, na China, chegarão neste sábado (08/02/2020) na Base Aérea de Anápolis (GO). A quarentena terá duração de 18 dias.

Entre os serviços oferecidos pelo governo federal estão refeição seis vezes por dia, de acordo com a necessidade de cada um; apoio psicológico e religioso e até uma filmoteca.

O governo informou que todas as pessoas presentes no avião, sendo cidadãos repatriados ou militares envolvidos na missão, ficarão em quarentena por 18 dias em Anápolis. Quem apresentar qualquer sintoma da infecção será levado ao Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília.