Coronavírus: faltam álcool e máscaras em farmácias do DF

Após confirmação de caso do novo coronavírus no Brasil, procura pelo gel e pela proteção facial cresceu muito, dizem comerciantes

Após o Brasil ter o primeiro caso confirmado do novo coronavírus, as farmácias do Distrito Federal começam a sentir o impacto do temor dos brasilienses. Na Rua das Farmácias, na 302 Sul, nenhuma loja  tinha máscaras de proteção nesta quarta-feira (26/02/2020). O mesmo aconteceu com o álcool em gel: somente um dos comércios pesquisados ainda contava com o produto nas prateleiras.

Vendidas no varejo ou atacado, as unidades das máscaras custam entre R$ 1,50 e R$ 29,90, a depender do modelo. Enquanto isso, as caixas dos aparatos de proteção chegam a custar R$ 75. Dos estabelecimentos visitados, apenas da Drogaria Rosário afirmou não trabalhar com a venda do produto, muito usado em outros países depois das notícias sobre o novo coronavírus. Todas as demais estavam com os estoques zerados. Funcionários relatam aumento na procura após a confirmação da doença.

Um funcionário da Drogaria Brasil, que não quis ser identificado, afirmou que as vendas triplicaram entre sexta (21/02/2020) e esta quarta (26/02/2020). “Tinha gente saindo carregado com cinco caixas de máscaras. Nosso setor de compras está tendo dificuldade em adquirir mais unidades para reabastecer.”

A Drogaria Pacheco, por sua vez, está sem o equipamento para venda desde dezembro do ano passado, quando os casos começaram a aparecer. Na loja, uma máscara do tipo cirúrgica custa R$ 6,99.

A farmácia Santa Marta conseguiu comprar apenas seis unidades do aparato, todas vendidas em menos de 3 horas, conforme informou ao Metrópoles um dos funcionários.

A Unicom é o único estabelecimento que vende a máscara do tipo N95, todos os outros comércios vendiam apenas o modelo mais simples, do tipo cirúrgico. Uma máscara na farmácia não custava menos de R$ 29,90 a unidade. Todas as drogarias consultadas não possuem previsão de reabastecimento de estoque e enfrentam problema para a compra de mais produtos.

No Brasil e no DF

No início de fevereiro, o Metrópoles publicou matéria mostrando que a procura de máscaras cresceu 300% nos primeiros dias do mês e muitas lojas registravam a falta do produto.

O Ministério da Saúde confirmou, nesta manhã, que um brasileiro, morador de São Paulo, de 61 anos, contraiu o novo coronavírus. Ele esteve na Itália entre os dias 9 e 21 de fevereiro. Agora, em isolamento doméstico, apresenta indícios mais leves da doença: febre, tosse seca, dor de garganta e coriza.

Em todo o país, existem 20 casos suspeitos. No Distrito Federal, há três situações de provável infecção. Dois pacientes estão internados no Hospital Home, na Asa Sul, e o terceiro, no Santa Lúcia, na Asa Norte. Por volta das 13h desta quarta, o Home afirmou que uma paciente idosa, que estava sob observação, acabou liberada. O caso dela foi descartado.