Coronavírus: empresa retira itens e limpeza de hospitais do DF

Ipanema retirou equipamentos para a higienização e
desinfecção do Hmib e do Hospital Regional do Guará durante epidemia da Covid-19

Em plena crise do novo coronavírus, a empresa Ipanema retirou equipamentos de limpeza e higienização do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) e do Hospital Regional do Guará (HRGu). São itens necessários para evitar a disseminação da doença.

Para o governo, a atitude colocou em risco a saúde de pacientes e servidores. No DF, até esta segunda-feira (30/03), duas pessoas haviam morrido de Covid-19. A última foi um homem de 77 anos, morador do Núcleo Bandeirante.

Segundo a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), os equipamentos seriam repostos nesta terça-feira (31/03), pela vencedora do novo contrato de prestação de serviço, a BRA. No entanto, a Ipanema não aguardou a troca.

Risco a saúde

“A SES, através do seu departamento jurídico avaliará as medidas judiciais cabíveis a serem tomadas contra a empresa Ipanema pela forma como atuou nesse episódio, colocando em risco a saúde de pacientes e profissionais de saúde nestas unidades”, assegurou a pasta em nota.

Segundo fontes do Metrópoles, a retirada ocorreu a partir da meia-noite desta terça-feira (31/03). Recipientes de álcool em gel e sabão, itens necessários contra a disseminação do novo coronavírus, foram levados. Lixeiras também não estão mais presentes nos hospitais.

A UTI pediátrica foi deixada com sabão improvisado. Os funcionários da limpeza ficaram sem sapatos adequados para o trabalho. Alguns trabalharam de sandálias.

Veja fotos de como ficaram os hospitais:

1/5
Empresa retira equipamentos de limpeza de hospitais públicos em plena crise do novo coronavírus
Empresa retira equipamentos de limpeza de hospitais públicos em plena crise do novo coronavírus
Empresa retira equipamentos de limpeza de hospitais públicos em plena crise do novo coronavírus
Empresa retira equipamentos de limpeza de hospitais públicos em plena crise do novo coronavírus
Empresa retira equipamentos de limpeza de hospitais públicos em plena crise do novo coronavírus

Escândalo

O contrato de limpeza da Saúde foi objeto de escândalo no DF, antes do novo coronavírus. Após denúncia de fraude, o governador Ibaneis Rocha (MDB) exonerou 22 pessoas na pasta e revogou a contratação anterior.

A BRA foi contratada emergencialmente para a limpeza e desinfecção de unidades da rede pública do DF por 180 dias. Neste caso, improrrogáveis. O valor do contrato é de R$ 67.078.778,38.

O Metrópoles tentou contato com a Ipanema sobre a questão. A empresa alegou que os serviços prestados para a Secretaria de Saúde foram encerrados no dia 30 de março de 2020, à meia-noite, conforme ofício enviado para a pasta.

Confira a nota da Secretaria de Saúde na integra:

A Secretaria de Saúde do DF lamenta a atitude da empresa Ipanema que não aguardou a substituição – programada para hoje (31) – dos equipamentos de limpeza que utilizava nestes hospitais (Guará e HMIB) em acordo com a BRA, vencedora do novo contrato.

A empresa garante que nesta manhã já estará repondo todos os equipamentos e insumos necessários à limpeza nestes hospitais.

A SES, através do seu departamento jurídico avaliará as medidas judiciais cabíveis a serem tomadas contra a empresa Ipanema pela forma como atuou nesse episódio, colocando em risco a saúde de pacientes e profissionais de saúde nestas unidades.

ASCOM/SES

Veja a nota da Ipanema na íntegra:

Em resposta a sua solicitação, informamos que conforme Ofício nº 1041/2020 – SES/GAB, datado de 19 de março de 2020, da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal – SES/DF, os compromissos contratuais da Ipanema Empresa de Serviços Gerais e Transportes LTDA, CNPJ 00.588.541/0001-82, enceraram no dia 30/03/2020 às 24 horas.

Atenciosamente,

Ipanema Ltda