Contra bate-boca, presidente da CLDF vai controlar microfones de distritais

Medida foi anunciada por Rafael Prudente um dia após turbulenta sessão sobre CPI da Pandemia

atualizado 16/09/2020 19:01

Igo Estrela/Metropoles

Após o intenso debate sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, na sessão de terça-feira (15/9), o presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), deputado Rafael Prudente (MDB), decidiu controlar o microfone dos parlamentares durante o plenário virtual de agora em diante.

A partir desta quarta-feira (16/9), Prudente abrirá o microfone para o parlamentar que fizer uso da palavra, mantendo o equipamento fechado aos demais. A ordem de fala será definida em lista de inscrição.

Na terça-feira, no meio do debate, a deputada Arlete Sampaio (PT), signatária da CPI da Pandemia, já reclamou de intervenção do presidente da Casa na manifestação dos parlamentares: “Presidente [Rafael Prudente], não nos cale”.

Nesta quarta, Fábio Felix (PSol) acrescentou: “Ninguém silencia a nossa voz”.

Segundo o presidente da CLDF, a sessão de terça-feira foi turbulenta, mas em momento algum ele agiu contra a instalação da CPI da Pandemia. Rafael Prudente, inclusive, citou que poderia discordar do que os colegas falam, mas defenderia o direito de cada um poder se manifestar livremente. Depois, anunciou o controle dos microfones.

Últimas notícias