BRB destitui diretor acusado de crimes contra o sistema financeiro

Em 18 de abril, o Metrópoles noticiou que Laécio Barros Júnior é réu em duas ações no Tribunal Regional Federal da 1ª Região

atualizado 26/04/2019 9:13

Daniel Ferreira/Metrópoles

Réu em dois processos por suspeita de crimes contra o sistema financeiro nacional, Laécio Barros Júnior perdeu o cargo de diretor da BRB Card e deixou a função de conselheiro da corretora de seguros da instituição. Conforme o Metrópoles apurou, a diretoria do Banco de Brasília (BRB) tomou a decisão na última segunda-feira (22/04/2019).

Funcionário concursado, Laécio continuará nos quadros do banco. No entanto, ainda não foi definido quem ocupará o lugar dele na Diretoria de Tecnologia e Finanças da BRB Card – sociedade integrante do conglomerado que tem como objetivo comercializar e administrar o portfólio de produtos e serviços dos cartões.

Em 18 de abril, o Metrópoles noticiou que Laécio é réu em duas ações que tramitam no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1). Nessa quarta-feira (24/04/2019), a juíza substituta da 12ª Vara, Pollyanna Kelly Maciel Medeiros Martins Alves, negou os pedidos de absolvição sumária dos nove acusados e deu prosseguimento ao processo.

A ação penal em questão trata da autorização de empréstimo de R$ 8 milhões para a construção de um edifício em Taguatinga Norte. O negócio foi permitido mesmo sem a empresa ter capacidade econômico-financeira para cumprir o acordo, segundo afirmou o Ministério Público Federal (MPF), autor da denúncia.

A autorização para o empreendimento teve como base um parecer elaborado pelo gerente da Agência do Guará II, que foi aprovado em 17 de março de 2009 pela Diretoria Administrativa do BRB da qual Laécio fazia parte.

0

Outro processo em que o servidor é réu corre na 10ª Vara do tribunal. A ação diz respeito à concessão de créditos a cooperativas de transporte sem atenção a requisitos legais, entre 2008 e 2010. O juiz Vallisney de Souza Oliveira é responsável pelo caso.

À reportagem, o BRB disse que não iria se manifestar sobre o assunto. O Metrópoles não conseguiu localizar Laécio. Anteriormente, o banco informou que ele é funcionário da instituição financeira há 30 anos.

Mais lidas
Últimas notícias