*
 

Visitar uma loja de brinquedos e de acessórios infantis e não querer sair de lá com ao menos uma lembrancinha para filhos e sobrinhos é tarefa difícil. Mas, em tempos de crise, com orçamentos domésticos cada vez mais apertados e inflação em alta, a criançada também sofre. Com produtos cada vez mais caros, fica difícil acompanhar o desenvolvimento dos pequenos com brinquedos apropriados a cada idade. E quem renova o estoque de peças infantis acaba ficando com cômodos entulhados de itens que rapidamente os pequenos deixam de lado.

Durante a primeira gravidez, em 2011, a jornalista Juliana Fernandes Cunha, 37 anos, viu exatamente isso ocorrer em sua casa. Ela começou a perceber que, conforme o filho crescia, os brinquedos perdidos só aumentavam. Cinco anos mais tarde, quando engravidou pela segunda vez, tentou reaproveitar muitas coisas usadas na primeira gestação. Foi quando viu o desejo de se tornar empresária crescer. Após pesquisar o mercado, ela teve a ideia de montar a Universo Materno Infantil, uma empresa virtual especializada em aluguel de brinquedos e produtos para pais, bebê e crianças.

Depois que tive meus filhos, me dei conta de como compramos coisas sem necessidade e como juntamos tralha em casa. Ao mesmo tempo, não queria privar minhas crianças de terem contato com alguns brinquedos de alta qualidade que iriam auxiliar no desenvolvimento delas"
Juliana Fernandes Cunha

Com planos quinzenais e mensais que vão de R$ 15 a R$ 115, a empresa oferece cerca de 70 produtos diferentes. “Nosso público-alvo são bebês de zero a 2 anos. Mas também temos artigos para crianças de até 7 anos e produtos para auxiliar no dia a dia dos pais, como cadeirinhas de balanço e de refeições”, explica Juliana.

Felipe Menezes/Metrópoles

Alguns dos brinquedos do estoque da Universo Materno Infantil

 

Inaugurada em fevereiro deste ano, a Universo Materno Infantil vem chamando a atenção dos brasilienses. Entre os itens disponíveis na loja, um específico tem até lista de espera, embora existam três no estoque. Chamado Jumperoo, o brinquedo da marca Fisher Price chega a custar até R$ 1 mil nas lojas físicas. O aluguel mensal dele, no entanto, sai por R$ 90.

“Muita gente me questionou se abrir uma empresa neste momento de crise econômica era uma boa opção. Mas a minha loja tem o foco de ser justamente uma alternativa à crise. É uma iniciativa sustentável. Em vez de desembolsar R$ 900 por um brinquedo que ficará jogado futuramente, os pais gastam apenas 10% desse valor”, esclareceu a empresária.

 

Reprodução

 

Regras
Embora os planos sejam quinzenais ou mensais, não é necessário trocar de brinquedo nesse período. “O desenvolvimento do bebê não é linear. Às vezes, ele gosta mais e às vezes gosta menos. Os pais podem renovar pelo período que eles quiserem”, conta a jornalista. Ela ressalta ainda que todos os produtos são entregues limpos e higienizados.

De acordo com Juliana, o locatário é responsável pelos danos ocorridos aos brinquedos e deverá se comprometer a repô-los, caso ocorra destruição, perda ou inutilização parcial ou total do item alugado, ou terá que pagar seu valor de mercado, com um desconto de 20%. Mais informações sobre o serviço podem ser consultadas no site da loja: www.universomaternoinfantil.com.br