Vídeos. Assalto a drogaria acaba em morte em Águas Claras

A vítima, segundo informações de testemunhas, seria um entregador de comida que teria tentado conter a fuga do ladrão

A noite de quinta-feira (17/10/2019) foi de terror na Rua 17 Norte de Águas Claras. No local, ocorreu assalto seguido de homicídio. De acordo com informações da Polícia Militar, populares tentaram conter a fuga de um suspeito de roubo a uma farmácia. O criminoso teria reagido e esfaqueado duas pessoas. Um rapaz de 25 anos que fazia entrega de comida por meio de aplicativo morreu. O acusado foi levado ao Hospital de Base e está preso.

A confusão ocorreu por volta das 23h. A PMDF foi acionada por testemunhas que viram o bandido assaltar o estabelecimento e ser imobilizado por populares que passavam pelo local. Tão logo chegaram ao endereço, os militares tomaram conhecimento de que o suspeito estava com uma faca e teria ferido duas pessoas que tentaram impedir sua fuga.

1/7
Camiseta ficou caída no local do crime
Marcas de sangue no local do crime
Crime ocorreu na noite de quinta-feira (17/10/2019) em Águas Claras
Momento em que populares tentam conter a fuga de suspeito de assalto
Suspeito foi agredido a pauladas e chutes
Suspeito foi agredido a pauladas e chutes
Suspeito foi agredido a pauladas e chutes

Ainda segundo informações repassadas pela corporação, uma das vítimas atingidas não resistiu e morreu no HBDF. A PM destacou ainda que o criminoso, de 37 anos, foi preso e após quase ter sido linchado também precisou de atendimento médico.

No momento do assalto à drogaria Pacheco, por volta das 22h45, havia quatro funcionários no local e nenhum cliente. De acordo com testemunhas, um suspeito entrou no estabelecimento e saiu levando R$ 100. Ele foi interceptado entre as ruas 17 e 18 Norte. Um suposto entregador de aplicativo de comida foi assassinado durante a fuga do ladrão.

Testemunhas presenciaram a hora que o rapaz, identificado pelos amigos como Rodrigo Souza Borges, foi esfaqueado pelo assaltante que roubou a drogaria Pacheco na noite da última quinta-feira (17/10/2019). Segundo contaram à reportagem, o suspeito corria com duas facas na rua.

Pessoas que passaram no momento na Rua 18 Norte gritaram: “Pega, ladrão”. A partir daí, alguns entregadores de aplicativo e pedestres avançaram no homem, para tentar linchá-lo. Ele reagiu e esfaqueou as vítimas, uma delas próximo ao food truck do Miquéias.

Aline Brandão, 39, presenciou o socorro à vítima. Ela diz ter ficado com o celular iluminando o rapaz, para que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) fizesse o primeiro atendimento. “Ele falava: ‘Não consigo respirar'”, ressaltou. “Não consegui dormir, tinha muito sangue. Ficávamos falando ‘Não dorme, não dorme’, e tentando manter ele acordado. Ele agonizou”, conta Aline.

Segundo um amigo da vítima, que preferiu não se identificar, o rapaz foi esfaqueado ao cair no chão e morreu na sala de cirurgia no Hospital Regional de Taguatinga (HRT), por volta das 3h de sexta-feira (18/10/2019). “Me ligaram dizendo: ‘O Rodrigo morreu’. Recebi a notícia e não acreditei. A gente conseguiu ouvir o tumulto todo, eu estava trabalhando até tarde no dia ali perto”, comentou o rapaz, bastante abalado.  “Ainda não caiu a ficha. Pena que mesmo falando todas essas palavras, ele não vai mais voltar”, acrescentou.

Tiroteio assusta

Em agosto deste ano, um tiroteio na Rua 14 Sul, em plena luz do dia, também levou pânico aos moradores de Águas Claras. Os disparos foram feitos perto das 16h, em rua movimentada, repleta de prédios residenciais e comerciais e uma escola particular. Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal, os tiros ocorreram após abordagem a um suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas. Muitas viaturas foram deslocadas ao local, e um helicóptero passou a sobrevoar a região.

Um dos projéteis passou a centímetros de Denilson Ribeiro, 25 anos, motorista que fazia entregas para um supermercado da região. O profissional registrou imagens do buraco da bala na lataria da porta do veículo. Ele gravou um vídeo mostrando-se agradecido por ter escapado. “Estou em estado de choque”, disse, na ocasião.