Após incêndio devastador, família de Brasília pede ajuda para reconstruir casa

O fogo começou a partir da explosão de um carregador de celular. Antes do acidente, os familiares sobreviviam com a venda de marmitas

Uma família de missionários que se sustenta com a venda de marmitas no DF pede ajuda para reconstruir a casa onde moravam, no Guará II, e voltar a trabalhar. O local foi completamente destruído por um incêndio causado pela explosão de um carregador de celular, na madrugada de terça-feira (31/8).

Segundo Cynthia de Jesus, 48 anos, a família morava de favor na casa da tia do marido e usava o espaço para fazer as marmitas. Agora que o espaço ficou inutilizado, pai, mãe e filha perderam a única fonte de renda, já que não conseguem mais preparar os alimentos.

“Acordei para tomar água e vi o clarão. Na hora, gritei: ‘Desce, que que tá pegando fogo’. Chamamos os bombeiros e, agora, deu problema na fiação, porque [os bombeiros] jogaram água, a gente até tentou fazer [as marmitas] mas está tudo dando choque”, lamentou Cynthia.

Veja como ficou a casa: 

1/3
Arquivo pessoal Quer ficar ligado em tudo o que rola no quadradinho? Siga o perfil do Metrópoles DF no Instagram Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente. Faça uma denúncia ou sugira uma reportagem sobre o Distrito Federal por meio do WhatsApp do Metrópoles […]
Arquivo pessoal Quer ficar ligado em tudo o que rola no quadradinho? Siga o perfil do Metrópoles DF no Instagram Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente. Faça uma denúncia ou sugira uma reportagem sobre o Distrito Federal por meio do WhatsApp do Metrópoles […]
Arquivo pessoal Quer ficar ligado em tudo o que rola no quadradinho? Siga o perfil do Metrópoles DF no Instagram Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente. Faça uma denúncia ou sugira uma reportagem sobre o Distrito Federal por meio do WhatsApp do Metrópoles […]

“Minha filha não para de chorar, acha que a culpa é dela”, contou Cynthia. Era o celular da menina, de 12 anos, que carregava no momento e deu origem ao fogo. “As aulas presenciais voltaram, mas ela não consegue ir, não para de chorar”, disse a mãe.

Cynthia reforçou que a família precisa de ajuda para recomeçar. “Meu objetivo é reconstruir a casa para a gente recomeçar a trabalhar ou alguém oferecer emprego para mim e para o meu esposo”, afirmou. Segunda ela, ambos têm experiência em lanchonetes e com preparo de alimentos.

Para ajudar a família, basta fazer um PIX de qualquer valor para cynthiadejesus2012@gmail.com.