Antes de jogo do Brasil, GDF desocupa lotes no Sol Nascente. Veja

Segundo o GDF, a ação teve como objetivo remover imóveis desabitados em região atingida recentemente por um forte alagamento

atualizado 24/11/2022 18:50

PMs - Metrópoles Reprodução / Redes sociais

Poucas horas antes do primeiro jogo da Seleção Brasileira na Copa do Mundo 2022, nesta quinta-feira (24/11), o Governo do Distrito Federal (GDF) deflagrou uma operação de desocupação no Sol Nascente, perto da Cozinha Comunitária do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST). A ação mirou na área onde houve alagamento e transbordo de uma bacia.

A operação teve participação da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e da Secretaria DF Legal. Segundo moradores, teria havido excesso e truculência dos agentes, que alegaram agressões por parte da população.

Veja o vídeo:

“Olha só o que eles estão fazendo. Bateram na família. Bateram muito em uma mulher ali. E estão jogando bomba. Olha isso”, comentou um morador durante a gravação.

Diante da presença de meninos e meninas na região, a população questionou o uso da força, com disparos e bombas de efeito moral. “Tem criança aqui! Tem família. Tem criança aqui. Não atira, cara”, gritou um homem.

Outro lado

O Metrópoles entrou em contato com o Palácio do Buriti sobre o episódio. Segundo o GDF, a Secretaria DF Legal foi até o local para a remoção de edificações não habitadas na região.

“As mesmas foram indicadas por um comitê formado por órgãos do governo por estarem em área de risco para as famílias. Ao todo, quatro edificações não habitadas foram removidas”, afirmou.

Em nota, a PMDF disse que precisou intervir porque houve resistência por parte da população.

“Nesse momento, alguns indivíduos agrediram as equipes policiais jogando pedras e outros artefatos, trazendo risco à integridade física de todos os presentes. Tendo em vista as injustas agressões, foi necessário por parte da Polícia Militar efetuar a dispersão utilizando-se de instrumentos de menor potencial ofensivo”, argumentou.

Segundo a Polícia Militar, não houve nenhum disparo de arma de fogo e nenhum manifestante ficou ferido.

Mais lidas
Últimas notícias