Acerto de contas do tráfico teria motivado 2º assassinato em frente a presídio do DF

Vítima foi identificada como Ivan Nunes Costa e cumpria regime semiaberto no local. Crime ocorreu na tarde desta sexta-feira

atualizado 05/02/2021 23:15

Reprodução

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) identificou a vítima do segundo homicídio ocorrido na porta do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) nesta sexta-feira (5/2). Ivan Nunes Costa, 29 anos, cumpria regime semiaberto e, pelas diversas passagens acumuladas, a principal suspeita é de que seja acerto de contas em razão de tráfico de drogas. O crime ocorreu no início da tarde.

Os dois suspeitos foram presos pouco tempo depois de cometerem o crime. A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) rastrearam a dupla, que tentou se esconder no Riacho Fundo 2. “Um deles estava armado, mas conseguiu se desfazer (do armamento) antes de ser pego. Eles ainda tentaram fugir, mas não conseguiram”, afirmou o delegado adjunto da 27ª DP, Diogo Carneiro de Oliveira.

0

Além do homicídio, os dois homens devem responder por receptação, uma vez que estavam em um carro roubado. Durante o depoimento, no entanto, eles ficaram calados. Eles seriam membros da facção criminosa do DF, Comboio do Cão, o caso será encaminhado para a 8ª Delegacia de Polícia (SIA), local do crime.

Caso parecido pela manhã

Uma pessoa morreu baleada na manhã desta sexta-feira (5/2). O crime ocorreu em frente ao CPP, no SIA, unidade onde ficam os detentos em regime semiaberto. De acordo com informações preliminares, um preso saiu do local para trabalhar, por volta das 7h, quando acabou surpreendido por supostos rivais.

Houve cerca de 10 disparos de arma de fogo. O socorro foi acionado, mas a vítima morreu no local. A cena do crime foi isolada para perícia. A polícia suspeita de acerto de contas.

O interno executado foi identificado como Valdemir da Silva Santos, conhecido como Barriga. Ele tinha 36 anos e havia sido preso em 27 de outubro do ano passado.

Veja imagens do crime:
0

Em nota, a Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape) confirmou que o crime ocorreu na parte externa da unidade prisional, no momento em que a vítima se deslocava para o trabalho — o benefício é concedido pela Vara de Execuções Penais (VEP) a presos do regime semiaberto. Detalhou que a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada. A 8ª Delegacia de Polícia (SIA) investiga o caso.

Últimas notícias