Turismo da vacina: dados apontam que buscas por voos para os EUA crescem até 719% no Brasil

Cidades que vacinam turistas lideram o ranking de destinos internacionais mais procurados por viajantes brasileiros

atualizado 07/06/2021 15:00

Um levantamento feito pelo KAYAK, metabuscador de viagens, mostra que a busca por destinos nos Estados Unidos – sobretudo as cidades de Orlando, Nova York, Miami e Los Angeles – passou por uma significativa alta entre os turistas brasileiros nos meses de abril e maio.

Dados apontam que, em relação a abril, maio apresentou um crescimento de 719% nas buscas de voos para Nova York, cidade que liderou o ranking de destinos internacionais durante todo o mês. As cidades de Miami, Los Angeles e Orlando também passaram por alta: 527%, 421% e 398%, respectivamente. Ainda que a alta seja animadora para o setor, especialistas apontam que os números estão longe de alcançar os patamares pré-pandemia.

Mesmo durante o pico de pesquisas – que aconteceu em um sábado, dia 15 de maio -, o volume foi 70% menor do que o observado em 2019. Especialistas explicam que o fenômeno chamado “turismo da vacina” pode estar por trás de tamanho crescimento.

A influência do turismo da vacina

Como o país com o maior número de doses contratadas, os Estados Unidos passaram a ser priorizados entre turistas que desejam tomar a sua vacina de imunização contra a Covid-19 em solo internacional.

Algumas agências de viagem estão, inclusive, incluindo em seus pacotes os períodos de quarentena para as cidades que não apresentam restrições à entrada de brasileiros, como é o caso de alguns dos destinos citados acima. Empresas oferecem, ainda, escala em Cancún, onde turistas podem aproveitar diversos resorts mexicanos.

O destino mexicano já estava entre os mais populares há algum tempo. Ainda segundo a plataforma responsável pelo levantamento, a procura por Cancún esteve em alta durante toda a pandemia. Outros destinos internacionais que também captaram a atenção dos turistas foram Dubai e Malé, este último um conhecido acesso às Ilhas Maldivas. Todos esses destinos apresentaram poucas restrições, ou nenhuma, para turistas brasileiros durante todo o período de contaminação.

No início do mês de maio, Bill de Blasio, prefeito da cidade de Nova York, anunciou o seu plano de vacinar turistas que visitavam a cidade. Especialistas apontam que tal declaração pode ter acelerado a procura de passagens para o destino. A Flórida também não apresenta restrições severas para a imunização de turistas estrangeiros.

A baixa e a alta temporada

O mapeamento de tendências 2021 do KAYAK aponta, ainda, a baixa e a alta temporada dos destinos mais populares, ajudando turistas a decidirem quando viajar para evitar aglomerações.

Para Nova York, por exemplo, a baixa temporada é em março, apresentando uma queda de 19% no preço médio das passagens. Miami também tem a baixa temporada em março, diminuindo em 18% o preço das passagens.

Enquanto isso, Los Angeles tem a sua baixa temporada em agosto, além de uma queda de 28% nos preços. Orlando, por sua vez, também apresenta agosto como o mês da baixa temporada, mas com uma redução de 20% nos preços de passagens.

A busca por voos domésticos

Ainda que o “turismo da vacina” não seja uma realidade no Brasil, turistas brasileiros parecem dispostos a fazer a mala de viagem e embarcar em um voo doméstico. As cidades de Macapá (+25%), Aracaju (+19%), Petrolina (+18%), Goiânia (+18%) e Porto Alegre (+17%) apresentaram os maiores aumentos semanais, segundo o KAYAK.

Website: https://www.delsey.com.br/

Últimas notícias