Intolerância a produtos químicos pode estar relacionada à doença chamada Sensibilidade Química Múltipla.

A doença é rara e está sendo estudada por organismos de saúde.

atualizado 25/01/2021 0:00

Cheiro forte é algo que normalmente pode provocar um incômodo em algumas pessoas, mas em um determinado grupo pode acarretar sintomas fisiológicos que podem ter impactos na saúde e na rotina pessoal desses indivíduos. Cientistas estudam o motivo de algumas pessoas desenvolverem estes sintomas com mais intensidade, o que é conhecido como Sensibilidade Química Múltipla. A SQM (Sensibilidade Química Múltipla) pode também ser conhecida como Intolerância Química Severa e é uma doença rara e de difícil diagnóstico. O processo da doença se dá na ação do produto químico diretamente sobre as células do organismo, levando o corpo a reagir expressamente a esse contato e assim desenvolver os sintomas. Para identificar se esse é o caso do paciente, exames médicos diferenciados precisam ser aplicados para uma melhor leitura do diagnóstico por parte do médico responsável pelo caso.

Muitos pacientes que buscam ajuda médica nesses casos chegam relatando reações como dor de cabeça, reações na pele, vômito e outros efeitos, porém, em muitos deles pode se tratar de uma doença alérgica respiratória ou de pele, por exemplo. O que ocorre nesses casos é que o paciente alérgico possui uma mucosa já normalmente inflamada. Essa inflamação faz com que a região seja mais sensível a cheiros e contatos com produtos químicos e isso faz com que a mucosa desse paciente responda com mais sensibilidade. Dessa forma, não quer dizer que todos os pacientes que sentem algum tipo de sintoma possuem necessariamente a Síndrome Química Múltipla. Por isso é muito importante o acompanhamento e diagnóstico médico, para que cada quadro clínico seja estudado pelo profissional de saúde. 

Outra importante ação é quanto ao controle do ambiente, que é  o conjunto de cuidados que a pessoa tem com o espaço físico em que ela vive, seja em casa ou no escritório, por exemplo. O médico Marcello Bossois coordena há quinze anos o Projeto Brasil Sem Alergia no Estado do Rio de Janeiro e destaca a importância dos cuidados com a limpeza do ambiente. Além da rotina de limpeza, ele orienta que os pacientes devem evitar a convivência com objetos que normalmente acumulam poeira e ácaro, como bichos de pelúcia, tapetes e cortinas. 

O Projeto Brasil Sem Alergia costuma receber em suas redes sociais, dúvidas sobre assuntos relacionados à saúde. Essa procura se intensificou depois do início da epidemia. O projeto conta hoje com um canal no YouTube e possui algumas listas de reprodução de vídeos onde o médico se aprofunda em alguns temas.

Em alguns casos, os sintomas da Sensibilidade Química Múltipla podem ser confundidos com outras doenças alérgicas. É então necessário buscar orientação médica para que através de exames específicos seja identificado o real caso de cada pessoa. Somente após a confirmação do que acomete o paciente é que o tratamento pode ser definido. O Brasil Sem Alergia tem ajudado na identificação de algumas doenças e na melhoria do quadro da saúde respiratória desses pacientes, algo que durante a pandemia se torna ainda mais essencial.

Website: https://g.co/kgs/C4LPd7

Mais lidas
Últimas notícias