InCor conclui estudo sobre a relação entre pacientes com Covid-19 e infarto

O trabalho foi realizado entre 14 de abril e 28 de junho de 2020, com 152 pacientes submetidos a angiografia de coronárias (artérias), de 17 hospitais do país.

atualizado 12/05/2021 12:03

O InCor (Instituto do Coração) concluiu um estudo que avaliou a situação de pacientes com Covid-19 que sofreram infarto agudo do miocárdio. O trabalho foi realizado entre 14 de abril e 28 de junho de 2020, com 152 pacientes submetidos a angiografia de coronárias (artérias), de 17 hospitais do país.

O médico cardiologista e diretor do Departamento de Cardiologia Intervencionista do InCor e HCor, Alexandre Abizaid, destacou que os estudos sobre doenças do coração eram escassos nesse grupo de pacientes. O objetivo, ele explica, “era descrever de forma detalhada as características clínicas e de cateterismo cardíaco dos pacientes com Covid-19 que apresentaram infarto”, diz.

De acordo com o estudo, a mortalidadeem ambiente hospitalar, de pacientes com Covid-19 que apresentaram infarto agudo do miocárdio foi de 24%, segundo o trabalho do Instituto do Coração (InCor-HCFMUSP), com alcance nacional. O levantamento mostrou também que 69% dos pacientes avaliados apresentavam doença em várias artérias do coração e, em mais da metade dos casos, havia a presença de trombos (coágulos). A média de idade dos pacientes foi de 64 anos e a maioria (67,8%) era homem.

O trabalhou mostrou que os pacientes com Covid-19 que chegaram ao hospital com infarto do miocárdio, apresentam condição de saúde mais grave, com comprometimento de um número maior de artérias com obstruções e, mais frequentemente, se observa a presença de coágulos nos vasos. O índice de mortalidades desses pacientes chega a ser cinco vezes maior do que em pacientes com infarto sem Covid-19.

O trabalho foi aceito para publicação no periódico científico da Sociedade Americana de Cardiologia Intervencionista.

Website: http://www.pcicardio.com.br

Últimas notícias