Imunização global é possível até 2022 com distribuição justa de vacinas, afirma enviado especial da OMS para a COVID-19

Dr. Tedros Ghebreyesus: O nacionalismo da vacina irá prolongar a pandemia, o sofrimento humano e econômico Lord Martin Rees: O estabelecimento de pessoas em Marte é uma ‘”perigosa ilusão”

atualizado 11/03/2021 9:00

Os Diálogos da Cúpula Mundial do Governo presenciaram líderes mundiais destacarem soluções para os desafios mais urgentes da humanidade, durante o evento virtual entre 9 e 10 de março.

Este comunicado de imprensa inclui multimédia. Veja o comunicado completo aqui: https://www.businesswire.com/news/home/20210311005358/pt/

The World Government Summit Dialogues saw world leaders outline solutions to humanity’s most urgent challenges (Photo: AETOSWire)

The World Government Summit Dialogues saw world leaders outline solutions to humanity’s most urgent challenges (Photo: AETOSWire)

O Dr. David Nabarro, enviado especial para a COVID-19 da Organização Mundial de Saúde (OMS), alegou que a injusta participação do acessoàvacina em favorecimento de países ricos irá atrasar a recuperação global da crise de saúde e econômica, potencialmente além de 2022.

“Apesar de os esforços da COVAX serem louváveis, se poucos países receberem a maior parte dos suprimentos e reservarem um valor mínimo e suprimentos de vacinas para os demais, isto não é ético”, afirmou o Dr. Nabarro.

A abordagem atual “gratuita para todos” para suprimentos de vacinas com “um pequeno número de nações tentando pagar mais que as outras”, não funciona. Mas o “acesso justoàvacina para todos, o objetivo para a imunização, pelo menos até 2022, é uma perspectiva razoável,” disse ele.

Recentemente, o Dr. Tedros Ghebreyesus, diretor geral da OMS, disse: “O nacionalismo da vacina irá apenas prolongar a pandemia, e o sofrimento humano e econômico que a acompanham. A saúde deve ser vista não como um custo a ser reduzido, mas como um investimento em populações produtivas e resilientes, e uma solução para o desenvolvimento sustentável”.

Mais tarde, o Honorável Lorde Martin Rees, presidente da Royal Society, disse que os motivos para estudar e explorar outros planetas devem ser cuidadosamente considerados. Ele alegou: “A ideia de Elon Musk ter um milhão de pessoas estabelecidas em Marte é uma perigosa ilusão. Viver em Marte não é melhor que viver no Polo Sul ou no topo do monte Everest.

“O único motivo para os humanos irem ao espaço seria por aventura. Viver em Marte não será fácil. Marte possui um ambiente hostil”.

Seus pensamentos foram apoiados pelo eminente astrofísico, Dr. Neil deGrasse Tyson, que disse: “Enviar um bilhão de pessoas para outro planeta para ajudá-las a sobreviver a uma catástrofe na terra parece irrealista”.

Os Diálogos da Cúpula Mundial do Governo reuniram líderes de todo o mundo virtualmente, para preverem as tendências que irão moldar a futura sociedade, pós-pandêmica. Para mais detalhes sobre o evento, acesse: https://www.worldgovernmentsummit.org/

*Fonte: AETOSWire

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contato:

APCO Worldwide

Mahmoud Kandil, +971551266801

[email protected]

Fonte: BUSINESS WIRE

Últimas notícias