Forças Armadas francesas usam tecnologia da Thales para expandir comunicação segura por satélite

Tecnologia também pode ser utilizada pelas Forças Armadas do Brasil e de países da América Latina.O Ministério das Forças Armadas da França selecionou a empresa para o desenvolvimento e a implementação do segmento terrestre para a expansão da capacidade do sistema Syracuse IV.A Thales aproveitará sua vasta experiência na integração de sistemas de satélites militares na Europa e no Oriente Médio para fornecer a tecnologia de gestão completa necessária para a interoperabilidade total, bem como cerca de 200 terminais terrestres.Graças ao uso da tecnologia anti-jam Modem 21 exclusiva da Thales, as Forças Armadas francesas se beneficiarão com o aumento das taxas de dados e otimização para garantir a soberania e superioridade da informação, qualquer que seja sua posição no planeta.

atualizado 22/02/2021 21:00

A Thales foi escolhida pela agência de aquisições de defesa (DGA) do governo da França para liderar uma segunda parte do segmento terrestre do Syracuse IV, programa protegido de telecomunicações por satélite das Forças Armadas do país. O Grupo foi selecionado para fornecer os satélites em 2015 e liderar o primeiro incremento do segmento terrestre em 2019. Este segundo incremento de capacidade aumentará os potenciais de comunicação interoperáveis de Exército, Marinha e Aeronáutica francesas em termos de taxa de dados, disponibilidade, resistência a ameaças e conectividade ponta a ponta.

Este comunicado de imprensa inclui multimédia. Veja o comunicado completo aqui: https://www.businesswire.com/news/home/20210222005905/pt/

SATCOM antenna © Getty Images

SATCOM antenna © Getty Images

As comunicações por satélites militares são mais importantes do que nunca e, também, estão mais vulneráveis a ataques. Os equipamentos estão no centro da batalha pela independência estratégica em todas as áreas de invenção militar. Manter a conectividade é fundamental para que as Forças Armadas possam compartilhar informações de todos os tipos entre centros de comando e unidades implantadas em qualquer tipo de missão, incluindo operações de coalizão.

Este marco crucial do programa melhorará o desempenho do segmento terrestre em todos os teatros de operações dos três ramos militares franceses. A tecnologia da Thales utilizada pelas Forças Armadas francesas também pode ser utilizada em programas de defesa e segurança das Forças Armadas brasileiras, onde a companhia já é parceira estratégia, e de países da América Latina.

A solução da Thales será decisiva para atender aos requisitos de capacidade dos programas terrestres, navais e da força aérea, como Scorpion (veículos terrestres de combate), FREMM (navios), FDI, Barracuda (submarino), porta-aviões ou Rafale (caças). Seu objetivo é aumentar em 10 vezes as capacidades de comunicação segura de veículos de combate em movimento, embarcações de superfície, submarinos e agora também aeronaves. A tecnologia da companhia garante comunicações em roaming nas bandas X e Ka e explora totalmente o potencial de vários pontos da tecnologia de satélite de alto rendimento (HTS).

Todos os terminais terrestres no sistema serão capazes de fazer o uso ideal da constelação Syracuse IV. Sua total interconexão, por meio de novos terminais de acoplamento, permitirá um aumento considerável na taxa de dados ao garantir a cooperação conjunta nos teatros de operações e com centros de comando. Também serão compatíveis com recursos de satélites de terceiros, dependendo da área de implementação, sem comprometer a segurança das comunicações.

Para atingir esse objetivo, a Thales aproveitará sua experiência de integração de sistemas de alto nível e, em particular, seu sistema de transmissão Modem 21 altamente seguro, a fim de garantir a disponibilidade e confidencialidade de todas as comunicações e fornecer proteção contra todo o espectro de ameaças, sem impacto no desempenho operacional, o que é fundamental para manter a superioridade da informação em combates de alta intensidade. A eficácia do Modem 21 foi comprovada em combate por mais de uma década e é usada pela Otan e por países como Bélgica, Holanda, Noruega, Catar, Emirados Árabes Unidos, Egito.

O papel da Thales Alenia Space neste contrato incluirá o gerenciamento da missão para a constelação Syracuse e das capacidades de ancoragem do operador, da Diretoria Conjunta de Redes de Infraestrutura e dos Sistemas de Informação (DIRISI) do Ministério da Defesa da França. A empresa também foi a contratada principal da DGA no final de 2015 para o fornecimento do segmento espacial dos satélites Syracuse 4A e 4B e de seu segmento terrestre de controle e missão.

Com base em sua experiência como orquestradora e integradora de tecnologia para sistemas de comunicação por satélite na França e internacionalmente, a Thales implementou mais de mil estações de comunicação segura por satélite no mundo inteiro, trabalhando com parceiros industriais locais.

“Como empresa contratada principal dos segmentos terrestres do Syracuse III e Syracuse IV desde 2004, a Thales tem o orgulho de fortalecer sua parceria com o Ministério das Forças Armadas da França para ajudar a manter a superioridade informacional do exército do país em ambientes altamente disputados. As soluções soberanas de comunicação por satélite fornecidas neste contrato são resistentes a todos os tipos de ameaças, foram comprovadas em combate e são totalmente interoperáveis com os sistemas implementados pelas forças de coalizão da OTAN.” Marc Darmon, vice-presidente executivo de Comunicações Seguras e Sistemas de Informação da Thales.

Programa Syracuse

Syracuse é uma série de satélites de telecomunicações protegidos concebidos para garantir que as Forças Armadas francesas possam se comunicar a qualquer momento com a França continental e as unidades distribuídas pelo mundo todo. O programa Syracuse fornece uma solução totalmente independente para os diversos requisitos da França em recursos de comunicação segura de longo alcance que estão protegidos contra ameaças de guerra eletrônica. Três gerações de satélites Syracuse foram implementadas entre 1984 e 2015. O Syracuse IV substituirá os satélites Syracuse 3A e Syracuse 3B atualmente em órbita, proporcionando uma rede ampliada e atualizada de estações terrestres. Uma constelação de dois satélites foi encomendada no âmbito da primeira fase do programa Syracuse IV. Eles serão construídos pela Thales Alenia Space e pela Airbus Defense and Space. O primeiro satélite entrará em órbita em 2022.

Sobre a Thales

A Thales é líder global em alta tecnologia que investe em inovações digitais e de key technologies – conectividade, big data, inteligência artificial, cibersegurança e tecnologia quântica – para construir um futuro em que todos possamos confiar e que é vital para o desenvolvimento de nossa sociedade. A empresa oferece soluções, serviços e produtos que ajudam seus clientes – empresas, organizações e nações – a superar seus desafios nos mercados de defesa, espaço, transporte, identidade digital e segurança, tendo sempre pessoasàfrente do processo de decisão.

Com 83.000 funcionários em 68 países, a Thales registrou vendas de € 19 bilhões em 2019 (considerando a inclusão da Gemalto em 12 meses).

VISITE A

Grupo Thales

Download de fotos

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Contato:

Thales, Assessoria de Imprensa

Defesa Terrestre e Naval

Faïza Zaroual

+33 (0)7 64 25 99 31

[email protected]

Fonte: BUSINESS WIRE

Últimas notícias