Educadores criam alternativas para se conectar com alunos

A conectividade vem transformando os modelos de educação no ensino primário, algo que já estava consolidado no Ensino Superior, segundo Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES)

atualizado 14/01/2022 15:00

A pandemia que se iniciou em dezembro de 2019, transformou a vida de inúmeras pessoas que acabaram vendo no cenário digital uma forma de se manter conectado com clientes e conhecidos, toda essa transformação da forma de se comunicar também chegou às salas de aula.

Segundo a Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), os dados são preocupantes e apontam um declínio na educação à distância, principalmente para os alunos do ensino médio, visto que a falta de acesso à internet e a falta de incentivos governamentais para o ensino online criou uma barreira na educação.

No último dia 29 de dezembro, o presidente Jair Bolsonaro assinou a aprovação do investimento de R$ 3,5 bilhões do governo federal na educação, embora não se possa afirmar que haverá investimentos para às novas tecnologias, educadores acreditam que seja a oportunidade de democratizar a rede para grande parte da população que ainda não tem acesso ao serviço e encontram-se marginalizados numa era transformadora.

Apesar de ainda precisar passar por aprovação dos deputados, o incentivo pode ajudar a estreitar as relações entre alunos e professores, como é o caso dos alunos da escola Escola Municipal de Ensino Fundamental Vinícius de Moraes, no município de Lucas do Rio Verde, MT, que aderiram ao novo formato de educação e até criaram um movimento conhecido como #aprofetaon.

A Professora, especialista em Neuropsicopedagogia, Lucia Fátima C. Steffmann, relata que a brincadeira começou em grupos de estudo no WhatsApp onde eram divulgadas as atividades e que, através deste canal de comunicação, os alunos tiravam suas dúvidas.

“Quando eu entrava no WhatsApp, via inúmeras mensagens de alunos perguntando ‘Profe, você tá on?’ e aconteceu naturalmente de usarem o bordão que virou meme do Neymar”, esclarece a educadora.

Lucia, que ministra aulas para alunos do 5° ano do Ensino Fundamental, ainda relata que “a educação digital é um enorme passo para criar conexão muito mais próxima e equitária entre professores e alunos, permitindo um desenvolvimento contínuo dos jovens, mas ressalta que é papel do profissional de educação, criar laços e vias de acesso com seus alunos, para exercer o seu papel na formação dos jovens”.

Mais lidas
Últimas notícias