Pazuello apresenta cronograma para compra e produção de vacinas. Veja

Número de doses adquiridas até o fim do ano ultrapassa 400 milhões. Seguem em negociação outras 178 mi – da Pfizer, Janssen, Moderna e União

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, apresentou ao Congresso Nacional nesta quinta-feira (11/3) o cronograma de vacinação contra a Covid-19 até 2022. O detalhamento dos prazos foi enviado em ofício dirigido aos presidentes do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

Os chefes do Legislativo cobraram o Ministério da Saúde sobre o andamento da campanha nacional de imunização contra a Covid-19, iniciada em 18 de janeiro.

O cronograma atual prevê mais de 270 milhões de doses de vacinas no primeiro semestre, mediante acordos fechados com AstraZeneca/Oxford (Fiocruz), Instituto Butantan, Covax Facility e Precisa/Bharat Biotech.

Até o fim do ano, o número de doses a serem disponibilizadas ultrapassa os 400 milhões. Também estão em negociação outras 178 milhões de doses oriundas dos laboratórios Pfizer, Janssen, Moderna e União Química/Gamaleya.

Segundo a pasta federal, em março serão entregues 27,1 milhões de doses de imunizantes (3,8 milhões da fórmula da AstraZeneca/Oxford, com produção nacional pela Fiocruz, e 23,3 milhões da Coronavac/Sinovac, fabricada pelo Butantan).

“O acesso a vacinas seguras e eficazes para enfrentamento da pandemia é prioridade do Ministério da Saúde, visto que a vacinação tem o potencial de prevenir e conter a transmissão do coronavírus”, escreveu o ministro.

Pazuello também explicou que o cronograma de entregas de doses de vacinas e as quantidades previstas em contratos são constantemente atualizados pela pasta, a depender das previsões de entrega dadas pelos laboratórios fornecedores dos imunizantes.

Veja o cronograma apresentado pela pasta:

ACORDOS FECHADOS:

Fundação Oswaldo Cruz (vacina AstraZeneca/Oxford)
Janeiro: 2 milhões importadas da Índia (entregues)
Fevereiro: 2 milhões importadas da Índia (entregues)
Março: 3,8 milhões (produção nacional com IFA importado)
Abril: 2 milhões (importadas da Índia) + 30 milhões (produção nacional com IFA importado)
Maio: 2 milhões (importadas da Índia) + 25 milhões (produção nacional com IFA importado)
Junho: 2 milhões (importadas da Índia) + 25 milhões (produção nacional com IFA importado)
Julho: 2 milhões (importadas da Índia) + 16,6 milhões (produção nacional com IFA importado)

Instituto Butantan (vacina Coronavac/Sinovac)
Janeiro: 8,7 milhões, sendo 6 milhões importados da China e 2,7 milhões de produção nacional com IFA importado (entregues)
Fevereiro: 4,2 milhões de produção nacional com IFA importado (entregues)
Março: 23,3 milhões (22,7 milhões previstos para março + 600 mil residual de fevereiro)
Abril: 15,7 milhões (produção nacional com IFA importado)
Maio: 6 milhões (produção nacional com IFA importado)
Junho: 6 milhões (produção nacional com IFA importado)
Julho: 13,5 milhões (produção nacional com IFA importado)

Covax Facility
Março: 2,9 milhões (vacina importada da AstraZeneca/Oxford – Coreia do Sul)
Até maio: 6,1 milhões (vacina importada da AstraZeneca/Oxford – Coreia do Sul)

Precisa Medicamentos (vacina Covaxin/Barat Biotech/IND)
Total: 20 milhões de doses (importadas da Índia) no primeiro semestre de 2021

EM NEGOCIAÇÃO:

União Química (vacina Sputnik V/Instituto Gamaleya/RUS)
Abril: 400 mil (importadas da Rússia)
Maio: 2 milhões (importadas da Rússia)
Junho: 7,6 milhões (importadas da Rússia)
Total: 10 milhões de doses

Pfizer/BioNTech (EUA)
A partir do segundo trimestre de 2021: 100 milhões de doses

Jonhson & Jonhson (vacina Janssen/BEL)
Entre julho e setembro: 16,9 milhões de doses
Entre outubro e dezembro: 21,1 milhões de doses
Total: 38 milhões de doses

Moderna (EUA)
Até janeiro de 2022: 30 milhões de doses