Deixe os tabus do lado de fora e pode entrar. Tudo sobre sexo, para você gozar a vida.

Caso Leticia Colin: entenda a queda de desejo sexual pós-parto

Especialista explica questões hormonais e de rotina que fazem ser comum a baixa de libido por grandes períodos após ter um filho

atualizado 16/06/2021 9:58

Sexo pós-partoFoto: Tetra Images/Getty Images

Após uma entrevista sobre maternidade na pandemia, dado ao jornal O Globo, Letícia Colin virou assunto nas redes sociais. A atriz, que deu à luz seu primeiro filho, Uri, no fim de 2019, falou sobre a queda do desejo sexual pós-parto.

“Considero justíssimo não querer transar durante um ano”, afirmou.

Não é a primeira vez que uma famosa relata uma baixa na libido após ter filho. Sabrina Sato já afirmou algumas vezes que a vida sexual depois de dar luz a Zoe foi complicada. “Quando ela fez 10 meses, eu ainda não tinha voltado a ser mulher, não tinha transado direito, não tinha feito nada. Mexe com todos os hormônios”.

Apesar de existirem casos em que a vida sexual segue normalmente depois do parto ou mesmo aumente, não querer transar por certos períodos é mais comum do que se imagina.

“Existe uma queda hormonal brusca, e algumas mulheres sofrem mais com isso do que outras. Além disso, a produção da prolactina, hormônio responsável pela produção de leite, interfere diretamente no desejo sexual”, explica Carolina Freitas, psicóloga especialista em sexualidade do Sexo Sem Dúvidas.

Maternidade modo on

Mesmo que a parte hormonal tenha grande peso, não é só a ela que se deve a perda de desejo sexual. Outro motivo é o próprio momento novo que o casal passa a viver, assumindo os papéis de mãe e pai.

“Isso afeta não só a mulher, mas muitas vezes o homem também. E esse redirecionamento, além de comum, é importante, já que nesse período do primeiro ano o bebê precisa de cuidados especiais”, explica Carolina.

Contudo, mesmo não havendo atividade sexual, é importante que a intimidade do casal seja mantida. “Tomar um banho juntos, dormir juntos, carinho e objetivos em comum podem ser mantidos. Se houver isso, não há problema em deixar a atividade sexual de lado por um tempo”, diz.

Retomada

De uma forma geral, não há com o que se preocupar. De acordo com a especialista, o processo de retomada das atividades sexuais é natural a partir do momento em que o casal vai se reorganizando e retomando a função de cônjuges, não só de pais.

“A falta de sexo só precisa ser investigada caso essa retomada não aconteça e esteja acontecendo simulatneamente com possíveis disfunções sexuais, como problemas de ereção e ejaculação, por exemplo”, finaliza.

Últimas notícias