A idade chegou? Descubra qual é o melhor exercício

É inquestionável que a prática adequada de exercícios físicos é essencial em todas as fases da vida

É inquestionável que a prática adequada de exercícios físicos é essencial em todas as fases da vida. Ao contrário do que muitos pensam a musculação é também fundamental para o idoso. Nessa idade, a perda da aptidão física e da massa muscular é mais veloz. Esse processo é prejudicial para a saúde e também para o bem-estar.

A ciência é unânime em afirmar que atividade física regular torna o idoso mais dinâmico e com menor incidência de doenças. Preethi Srikanthan e seus colegas da Escola David Geffen de Medicina da Califórnia em Los Angeles, fizeram um estudo com 3.659 pessoas, entre eles homens e mulheres com idade entre 55 anos e 65 anos ou mais.

Eles comprovaram que quanto mais massa muscular uma pessoa idosa tem, menor será a probabilidade que ela morra prematuramente. Por isso, a musculação é uma das atividades mais recomendadas para o idoso.

Porém, a aplicabilidade do exercício deve ser adequada, ou seja, não tem que “pegar levar” porque a pessoa está com a idade mais avançada. O treino deve ser com intensidade elevada, amplitudes e repetições máximas. O profissional tem que ir buscando esse método e, aos poucos, convencer a pessoa de que é a melhor forma de melhorar a qualidade de vida dela, proporcionando inclusive benefícios estéticos.

Tem um outro estudo do pesquisador Antonio Paoli, realizado com idosos acima de 60 anos obesos e destreinados, no qual eles foram submetidos a prática de exercícios aeróbio (40 minutos), circuitos na musculação de baixa intensidade e musculação de alta intensidade com 15 repetições máximas.

Os resultados mostraram que o grupo com a rotina de musculação emagreceu mais. Naqueles no qual foi aplicada uma intensidade alta, a perda de gordura foi maior ainda do que a do grupo que treinou em baixa intensidade. E o grupo que treinou em alta intensidade ainda se beneficiou em outras coisas, como: diminuição do colesterol total, aumento do HDL (colesterol bom) e queda na pressão arterial diastólica.

A maioria das pessoas mantém a força muscular até aproximadamente 45 anos de idade, apresentando uma queda de 5% a 10% por década após esse período. Essa perda de massa muscular parece ser a principal razão da diminuição de força nos idosos, por isso é comum verificar a fraqueza muscular nos membros inferiores aumentando o risco de quedas e lesões.

Então, invista no treinamento resistido de alta intensidade, assim terá um aumento significativo de força e massa muscular. E lembre-se: a intensidade tem se mostrado ser o segredo para o sucesso. Procure um profissional qualificado para planejar o seu programa de treino e usufrua de todos esses benefícios.