Defesa de Marcius Melhem usa gráfico para mostrar que ele não é culpado

Nos gráficos, a defesa de Marcius Melhem tenta provar a inocência dele

A coluna Leo Dias teve acesso ao processo que o ator e humorista Marcius Melhem move contra a comediante e apresentadora Dani Calabresa. Além de prints e áudios, a defesa do ex-global usa de gráfico com dados que, segundo eles, comprovariam a inocência de Marcius contra as acusações de assédio moral e sexual.

Os advogados de Melhem questionam a reportagem da revista Piauí comparando datas dos supostos assédios versus datas nas quais os dois tiveram contatos pessoais. Dentre as contradições apontadas pela defesa do ex-diretor da Globo está o suposto assédio sexual que teria acontecido do dia 24 de julho de 2017, nos estúdios da emissora. O gráfico indica que, dois meses depois, mais precisamente no dia 6 de setembro, Melhem e ela trocaram mensagens sobre o dia a dia profissional via WhatsApp.

1/8
Os gráficos
Os gráficos
Marcius Melhem e Dani Calabresa
Ele diz que Dani agiu por vingança
Marcius Melhem era diretor de humor na Globo
Ele perdeu ação contra a revista Piauí
Foi na publicação que as acusações começaram a pipocar
Marcius Melhem foi acusado de assédio por várias funcionárias da emissora

Na ação, os advogados de Melhem pedem a quantia de R$ 200 mil por danos morais, que será doada para a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) caso ganhe o processo. “A gravidade da falsa imputação do crime/delito de assédio divulgada perante diversas mídias e corroborada pela Ré (Dani Calabresa) tem repercussão nacional, impondo dano incomensurável à reputação e honra do Autor (Marcius Melhem). Além de ter sua vida profissional maculada de forma potencialmente irremediável, ganha relevo o reflexo da reprovabilidade pública de condutas delitivas/criminosas, como aquelas imputadas ao Autor, no âmbito familiar e social”, diz a defesa de Marcius.

Ainda para embasar o pedido, os advogados de Marcius Melhem anexaram prints de algumas conversas que os dois tiveram ao longo do tempo. “Era rotineira a troca de mensagens, tanto pessoais como profissionais entre ambos: Daniella enviava matérias que queria ver comentadas pelo Autor, reclamava do conteúdo de outras produções, desabafava sobre insatisfações diversas – profissionais e pessoais. O tom jocoso e íntimo era constante no tratamento entre ambos. Entre Autor e Ré eram comuns as brincadeiras, inclusive de natureza sexual. Mas nada aí havia de constrangedor, abusivo ou imposto”, afirma o processo.

Além disso, a defesa pede à Dani que ela arque com todos os valores que Marcius gastou com terapias após o suposto caso vir à tona. Segundo o processo, a quantia gasta com os psicólogos somam R$ 46.400. A ação, portanto, possui como valor total o montante de R$ 246.400.