Além de Calabresa, Melhem processa Gentili e Rafinha Bastos em R$ 50 mil

Marcius Melhem move processos contra comediantes, um youtuber e contra a revista Piauí

Além de Dani Calabresa, o ex-diretor do núcleo humorístico da Globo Marcius Melhem move mais processos devido às acusações de assédio sexual que sofreu após uma publicação da Revista Piauí. Entre os principais alvos estão Rafinha Bastos, Danilo Gentili, Marcos Veras e o youtuber Felipe Castanhari. As ações foram protocoladas na última sexta-feira (15/1), na Vara Cível de São Paulo e do Rio de Janeiro.

A revista Piauí, responsável pela primeira grande reportagem que denunciou as supostas denúncias de assédio moral e sexual contra o ator, também é alvo da ação judicial. O periódico terá de pagar o montante de R$ 200 mil por danos morais – caso ganhe, Melhem promete doar a quantia ao Retiro dos Artistas. Já os comediantes e o youtuber Felipe terão de arcar com R$50 mil cada um por calúnia e difamação à Marcius, caso não consigam provar o que falaram a respeito do autor.

1/10
Marcius Melhem e Dani Calabresa
Marcius Melhem era diretor de humor na Globo
Ele perdeu ação contra a revista Piauí
Como Danilo Gentilli
Foi na publicação que as acusações começaram a pipocar
Marcius Melhem trabalhou na Globo por 17 anos
Marcius Melhem foi acusado de assédio por várias funcionárias da emissora
Matéria recente da revista piauí trouxe detalhes vívidos sobre os assédios atribuídos a ele
Marcius Melhem saiu da Globo após denúncias de assédio sexual
Ele estreou na Globo em 2003 como redator

A argumentação da defesa é de que as opiniões de Gentili, Castanhari, Rafinha Bastos e Marcos Veras vão além da liberdade de expressão e ofendem a honra, a intimidade e a imagem pública de Marcius. Fora a quantia em dinheiro, os advogados pedem que a Justiça determine que eles se retratem em relação ao conteúdo já divulgado, pelos quatro, em suas respectivas redes sociais e em entrevistas concedidas à imprensa.

À Dani, ele pede uma indenização no valor de R$ 200 mil, e promete doar, caso vença, à Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD). O mesmo valor será pedido contra a revista. Além disso, a equipe jurídica do ex-Global cobra o ressarcimento do custo dos tratamentos psiquiátrico e psicoterápico que fez entre fevereiro e dezembro do ano passado, no valor de R$ 46.400,00.