Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Volta ao teletrabalho no GDF dependerá de taxa de ocupação de leitos

Home office é uma das medidas avaliadas pelo Palácio do Buriti no caso de aumento de hospitalizações por Covid-19 nos próximos dias

atualizado 11/01/2022 19:44

Palácio do BuritiHugo Barreto/Metrópoles

O Governo do Distrito Federal (GDF) decidiu adiar a decisão sobre o retorno do teletrabalho obrigatório para servidores públicos da estrutura direta e indireta. A medida é uma das formas de conter novos avanços da doença.

Atualmente, os técnicos do Palácio do Buriti e da Secretaria de Saúde observam em tempo real os dados das novas infecções pela variante Ômicron e, por ora, descartam a retomada de home office para órgãos públicos.

A avaliação é que, com a taxa de ocupação dos leitos Covid estabilizada, ainda não é o momento para adotar medidas consideradas mais extremas. Na terça-feira (11/1), o índice de internação registrado chegou a 61,25%.

Nas recentes reuniões com a cúpula da Secretaria de Saúde, o consenso foi também de não transferir leitos normais para uso exclusivo de pacientes infectados pela nova variante.

Durante o período de maior colapso da pandemia no Distrito Federal, o governo optou pela medida.

Taxa de transmissão em alta

Nesta terça-feira (11/1) a taxa de transmissão da Covid- 19 no DF ficou em 2.06. É o sexto aumento consecutivo em uma semana.

Nos últimos dias, esse indicador aumentou diariamente na capital: na terça-feira (4/1), a taxa estava em 1,12; na quarta (5), subiu para 1,27. Na quinta (6), ficou em 1,45; na sexta (7), chegou a 1,66 e, por fim, na última segunda (10), subiu novamente para 2,01.

Segundo o boletim da Secretaria de Saúde, a reprodução da epidemia pode ser medida a partir do valor encontrado por esse índice. Ou seja, se a taxa for menor que 1, a pandemia tende a acabar, já se for maior que 1, ela avança.

Gripe, Ômicron e Delta: conheça os principais sintomas de cada doença

0

 

Dupla infecção

De acordo com a Secretaria de Saúde, o Distrito Federal tem, oficialmente, 530 casos de flurona, nome dado quando uma pessoa é infectada ao mesmo tempo pela Covid-19 e pela gripe.

Há uma semana, como mostrou a coluna Grande Angular, Brasília tinha apenas um caso computado de flurona: o de uma menina de 8 anos que testou positivo para coronavírus e influenza A.

Para tentar frear casos semelhantes, o Governo do Distrito Federal quer iniciar a vacinação de crianças contra Covid-19 neste domingo (16/1), caso o Ministério da Saúde envie as doses até sexta-feira (14/1).

A ideia do GDF é iniciar a campanha com crianças de 11 anos e também com comorbidades e Síndrome de Down. A expectativa é que 16,3 mil doses da Pfizer já comecem a ser usadas no primeiro dia de vacinação.

Mais lidas
Últimas notícias