Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Partido de Daciolo irá incorporar o PRP, sigla da federal Bia Kicis

Os últimos ajustes da fusão estão sendo discutidos. O PRP, que deve deixar de existir, elegeu uma deputada federal e um distrital

atualizado 15/11/2018 19:26

Michael Melo/ Metrópoles

Partido da deputada federal eleita por Brasília Bia Kicis, o PRP deve se fundir ao Patriota, sigla do candidato à Presidência Cabo Daciolo. Os detalhes da incorporação – que já foi acordada em convenção nacional das duas legendas – devem ser definidos nos próximos dias. A tendência é o PRP ser absorvido pelo Patriota, que manteria o nome e o número, o 51. Com a medida, as duas agremiações políticas escapam da cláusula de barreira.

No DF, além de Bia Kicis, o PRP elegeu o distrital Daniel Donizet, e o candidato da sigla ao Palácio do Buriti surpreendeu. Testado nas urnas pela primeira vez, o general Paulo Chagas recebeu 110.934 votos e ficou em quarto lugar ao Governo do Distrito Federal.

O Patriota, por outro lado, não elegeu nenhum político por Brasília. Nacionalmente, no entanto, o quadro se inverte. O partido do ex-presidenciável Cabo Daciolo terá cinco deputados federais a partir da próxima legislatura. Já o PRP, além de Bia Kicis, elegeu outros três. A brasiliense, no entanto, declarou que pretende deixar a legenda para embarcar na sigla de Jair Bolsonaro, o PSL.

“Vamos juntar forças. O PRP mostrou que tem forças em Brasília. E vamos continuar trabalhando para ter bons quadros”, disse o presidente do PRP no DF, Adalberto Monteiro. O dirigente regional do Patriota, Paulo Fernando, também comemorou a fusão.

Mais lidas
Últimas notícias