Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Jereissati não quer que CPI inflame impeachment contra Jair Bolsonaro

Senador do PSDB informou que objetivo da comissão de inquérito será investigar questões específicas sobre problemas durante pandemia

atualizado 03/05/2021 20:55

Daniel Ferreira/Metrópoles

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) afirmou, na tarde desta segunda-feira (3/5), não defender que os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada para apurar possíveis erros do governo federal, dos estados e municípios no enfrentamento à pandemia de Covid-19 inflame um possível processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), um dos principais alvos das investigações.

De acordo com o senador cearense, o posicionamento é justificado pela duração de uma CPI, que é de pelo menos 6 meses, além do mesmo prazo para a conclusão das etapas do processo de impeachment. “Daqui a um ano, estaremos em momento eleitoral e não se justificaria”, disse. Segundo ele, o grupo deve se ater às questões específicas sobre a pandemia.

Um dos nomes cotados para disputar as prévias do PSDB para a Presidência da República, Tasso Jereissati afirmou que não descartaria composições, incluindo o próprio Ciro Gomes (PDT), a quem direcionou elogios. “Há uma possibilidade de que o desprendimento seja uma palavra de ordem de todos os candidatos”, afirmou.

Jereissati foi convidado do club Política & Patuscada, um coletivo de lideranças políticas jovens que acontece semanalmente dentro do ClubHouse, nova rede social de áudio e que tem promovido inúmeras salas de debate sobre as eleições de 2022. Ciro Gomes e o prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM), também já passaram pela mesma sabatina.

Na tradicional pergunta feita pelo conglomerado de moderadores, o ex-presidente nacional do ninho tucano também afirmou que salvaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de um possível “paredão” em versão política fantasiosa do Big Brother Brasil (BBB) contra o atual titular do Planalto.

“Salvaria o Lula e botaria o Bolsonaro fora do Big Brother Brasil”, disse.

Além de Jereissati, apareceram como participantes do fórum o atual presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo – que voltou a defender a candidatura do correligionário ao Palácio do Planalto – e do ex-deputado federal Miro Teixeira (PDT-RJ).

Por enquanto, o ClubHouse é exclusivo para quem tem iPhone e que recebe convite de usuários ativos. Pelas políticas de privacidade, apenas foi possível a reprodução do conteúdo porque os moderadores informaram que a sala seria retransmitida pelo Twitter, o que tornou a conversa pública.

Últimas notícias