Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Ibaneis afirma que novos bairros terão áreas exclusivas para igrejas

Declaração ocorreu durante a legalização da Paróquia São Pio de Pietrelcina, uma das 450 que aguardavam a regularização fundiária no DF

atualizado 23/10/2021 14:09

Ibaneis e Dom PauloHugo Barreto / Metrópoles

O governador Ibaneis Rocha (MDB) afirmou, na manhã deste sábado (23/10), que todos os novos bairros a serem construídos no Distrito Federal terão áreas destinadas exclusivamente para funcionamento de templos religiosos.

A declaração ocorreu após a assinatura de decreto para concessão, por 30 anos, de terreno para a Paróquia São Pio de Pietrelcina, localizada no Sudoeste, que é uma das 450 instituições em processo de regularização na capital federal.

“Nós tivemos grandes bairros aqui no Distrito Federal constituídos sem a presença de igrejas. Então nós prevemos isso na legislação e agora, naqueles que já estão constituídos, estamos buscando áreas próximas para que tenham templos religiosos também para atender à comunidade”, disse o emedebista para a comunidade católica, liderada pelo arcebispo de Brasília, Dom Paulo Cezar.

Ibaneis citou o caso do Paranoá Parque, conglomerado residencial onde há 20 mil moradores, mas que não recebeu planejamento prévio para instalação de igrejas ou templos religiosos diversos.

Moeda social

O titular do Palácio do Buriti lembrou que a atenção do governo para os segmentos religiosos se dá, também, pelo trabalho social realizado pelas instituições, o que foi destacado principalmente durante a pandemia da Covid-19.

Para garantir a liberdade religiosa, o governo criou a moeda social que, em vez de pagar com dinheiro dos fiéis pela concessão da área, as entidades devolvem com atendimento à comunidade.

“Nós criamos uma outra coisa importante que é o reconhecimento das igrejas pelo trabalho social que fazem. A grande maioria das igrejas não tem dinheiro para comprar o terreno. Um terreno desse aqui hoje no Sudoeste não vale menos de R$ 4 milhões. Criamos, então, a possibilidade desse terreno ser cedido pelo prazo de 30 anos, renovado por quantos quiserem ficar, numa taxa de 0,15% do valor de avaliação”, explicou.

“É muito difícil você tirar o dízimo, tirar a contribuição do fiel, para poder pagar ao governo, já que a igreja presta um trabalho social de altíssima relevância. Por isso, criamos a a moeda social onde o pagamento dessa taxa mensal pode ser feita através de um serviço que já é prestado pelas igrejas, que é um atendimento à comunidade”, continuou.

0
Paróquia de São Pio de Pietrelcina

Durante a assinatura da concessão, o governador lembrou das mais de duas décadas de processos de igrejas parados em repartições do Governo do Distrito Federal (GDF). Segundo ele, quando assumiu o Palácio do Buriti, a equipe da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) contabilizou cerca de 450 pedidos “encaixotados” desde a época da gestão do ex-governador Joaquim Roriz (2002).

“Nós fizemos avançar todos esses processos, atualizamos a legislação junto à Câmara Legislativa e colocamos condições para que todos os templos religiosos do Distrito Federal tenham essa estrutura. Isso é importante para sociedade, porque o investimento que as igrejas fazem através dos seus fiéis é enorme na construção dos seus templos”, ponderou o governador.”Então é essa paz jurídica que nós buscamos trazer e que nós vemos hoje aqui espelhada no olhar de cada um dos fiéis que estão aqui. Eles sabem que daqui para frente vão poder investir os seus recursos na construção do seu templo, onde vão cultuar aqueles que são seus santos de preferência, sem correr o risco de ter a sua obra derrubada”, finalizou.

Presente na solenidade, o arcebispo de Brasília, Dom Paulo Cezar, defendeu que a religião tem o papel de dar esperança na vida do povo, por isso a importância da regularização dos templos.

“Aqui deve ser também um grande centro de radiação da caridade. A comunidade católica fará verdadeiramente jus a este terreno que está sendo colocado à nossa disposição e espero que, em breve, eu possa voltar aqui pra fazer a inauguração da igreja, sagrar o altar e sagrar o amor”, colocou.

Museu da Bíblia

Após a assinatura do decreto de concessão, o governador Ibaneis Rocha também lembrou da situação do Museu da Bíblia, obra que tem gerado polêmica na comunidade do Distrito Federal por ter o plano de ser erguida no canteiro central do Eixo Monumental, área tombada de Brasília.

“O Museu da Bíblia é uma coisa que tem sido muito mal entendida por parte da sociedade no Distrito Federal. É uma obra que já está prevista na legislação há muitos anos, com a doação de um terreno para essa construção. Nós conseguimos recursos de emendas federais, de deputados que sequer são do Distrito Federal, então não são recursos nossos. Seria muito importante para uma cidade que tem um um caráter tão religioso como o Distrito Federal ter um museu de oração, um Museu da Bíblia com caráter bastante ecumênico”, defendeu.

Mais lidas
Últimas notícias