Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Família de criança escalpelada é acompanhada por ministério de Damares

Pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos determinou assistência integral à vítima que foi agredida pelo próprio pai

atualizado 16/03/2021 20:09

Damares AlvesIgo Estrela/Metrópoles

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos informou à coluna Janela Indiscreta, na noite de terça-feira (16/3), que passou a acompanhar de perto o caso de violência doméstica contra uma criança de Planaltina de Goiás, município goiano que fica a 60km de Brasília.

Na última terça-feira (9/3), um pai de 38 anos chegou embriagado em casa e cortou, com uma faca, o couro cabeludo do filho, de apenas 10 anos. O motivo da violência teria sido o fato de o agressor considerar o corte de cabelo do menino como sendo de “homossexual”.

Após ser notificada do episódio, a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente determinou que o conselho tutelar do município goiano fosse até o endereço da família para averiguar a situação.

A família recebeu alimentos e a medicação necessária para os cuidados com o menino agredido, após ele ter passado por uma cirurgia reparadora em uma unidade hospitalar da rede pública da capital federal. A mãe e as crianças vivem em situação de vulnerabilidade social.

“É para evitar tragédias como essa que o ministério trabalha suas pautas de forma transversal e fala tanto em fortalecimento dos vínculos familiares. Um pai deveria proteger o filho e estar são para cuidar de sua família. O que pudermos fazer para fortalecer esses laços, faremos. E quando a violação ocorrer, vamos apoiar e instruir a vítima, para que o processo de recuperação seja o menos doloroso possível”, diz o titular da Secretaria dos Direitos da Criança, Maurício Cunha.

Assistência integral

Na última segunda-feira (15/3), representantes do ministério comandado por Damares Alves (foto em destaque) realizaram uma videoconferência com a prefeitura do município, além da Secretaria de Assistência Social e o conselho tutelar locais para definição de novos encaminhamentos.

Na reunião, as áreas estabeleceram a manutenção do acompanhamento à família pelo conselheiro tutelar, a permanência dos benefícios e auxílio alimentação da assistência para a mãe e os filhos, consulta ao jurídico municipal para possibilidade de garantia do aluguel social à família, a permanência do atendimento psicológico para as crianças e assistência social para a família.

De acordo com o delegado Thiago César de Oliveira Silva, responsável pela investigação, o pai foi ouvido e alegou ter chegado bêbado à sua casa. Em depoimento, o homem confirmou, ainda, que cortou o cabelo do menino com uma faca.

Últimas notícias