Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Empresários do DF pedem flexibilização de lockdown para alguns setores

Durante reunião com o governador Ibaneis, Fecomércio e outras entidades pediram um "meio termo" para não quebrar a economia local

atualizado 01/03/2021 17:58

Material cedido ao Metrópoles

O presidente em exercício da Federação do Comércio (Fecomércio-DF), Edson de Castro, afirmou que o Governo do Distrito Federal (GDF) deve reavaliar a flexibilização das medidas restritivas de funcionamento do comércio e serviços locais “de forma gradativa e segura”.

Nesta segunda-feira (1º/3), a entidade e representantes de outros segmentos estiveram no Palácio do Buriti para uma reunião com o governador Ibaneis Rocha (MDB), que afirmou saber “do sofrimento dos trabalhadores e dos empresários de todos os setores” e que trabalhará para retomar as atividades no menor prazo possível.

De acordo com Edson de Castro, embora reconheça o cenário preocupante vivido no Distrito Federal, a entidade defende “haver um meio termo, para que não haja mais prejuízos para a economia local”.

“O governador garantiu que se houver uma diminuição na contaminação, reavaliará o lockdown. Pode ser que durante esta semana eles consigam liberar mais segmentos. Vamos continuar dialogando para que isso seja feito de forma ordenada e com a maior segurança possível, para evitar mais demissões e falências na cidade”, pontuou.

O presidente do Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes (Sindhobar-DF), Jael Antonio da Silva, também participou da reunião. “O governo alega que a situação é grave e que os índices extrapolaram todas as expectativas. Ele também destacou que está providenciando um aumento na quantidade de leitos. Esperamos um posicionamento para a reabertura e vamos continuar acompanhando para que o empresário não sofra mais do que já está sofrendo”, enfatizou.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-DF), Wagner Silveira Júnior, disse que se solidariza com o movimento dos empresários que reivindica a reabertura de mais segmentos da economia.

“Entendemos que a situação da Covid-19 e da ocupação de leitos é preocupante, mas acreditamos que, com planejamento e estratégias definidas, é possível atenuar a situação sem prejudicar ainda mais o setor produtivo”, comenta.

Também participaram do encontro representantes de escolas particulares, Federação das Indústrias (Fibra-DF), Sebrae-DF, além do presidente da Câmara Legislativa (CLDF), Rafael Prudente (MDB), e secretários ddo GDF, entre eles o de Economia, André Clemente e o de Saúde, Osnei Okumoto.

Twittter

Mais cedo, após a reunião com o setor produtivo, Ibaneis confirmou a intenção de reabrir todos os setores da economia no máximo em 15 dias, mas adiantou que “alguns vão voltar antes”.

Desde domingo (28/2), um decreto editado pelo gestor está em vigor com medidas restritivas ao funcionamento do comércio, com exceção de serviços essenciais.

“Mostrei que a taxa de transmissibilidade do vírus está muito alta e este foi o principal motivo para o decreto do fechamento. É preciso reduzir a circulação de pessoas na cidade ou não vamos sair da crise”, escreveu.

Últimas notícias