Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Em relatório, Saúde do DF alerta sobre falta de estrutura para armazenar vacinas da Covid-19

Documento revela que Núcleo de Rede de Frio, responsável pelo estoque seguro dos imunobiológicos, já está com a capacidade "comprometida"

atualizado 08/12/2020 11:34

Testes de vacinaçãoSergei KarpukhinTASS via Getty Images

Em meio às sinalizações sobre a esperada chegada das vacinas contra a Covid-19 no Brasil, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal emitiu um alerta sobre a falta de estrutura para armazenar os produtos no caso da autorização para imunizar a população brasiliense. Documento obtido pela coluna Janela Indiscreta, do Metrópoles, revela que o Núcleo de Rede de Frio, responsável pelo estoque seguro dos imunobiológicos, já está com a capacidade “comprometida”.

A maior reclamação do setor é o tamanho insuficiente para atender a variedade e a quantidade de vacinas armazenadas, que praticamente dobrou de 2001 para 2020. Um dos problemas é que alguns desses produtos estão sendo produzidos em formato de dose única, com embalagens volumosas, deixando o espaço de armazenamento ainda mais comprometido.

“Informamos que durante os dezenove anos de funcionamento, a estrutura original do Núcleo de Rede de Frio foi acrescida apenas de mais nove (9) câmaras frias verticais, aumentando em 13,36 m³ a sua capacidade de armazenamento, sendo insuficiente para atender a variedade e a quantidade de imunobiológicos que aumentou consideravelmente nesse período, de um total de 27 imunobiológicos em 2001 para 47 novos tipos de produtos em 2020, com diferentes indicações de aplicação”, informa o documento.

De acordo com o memorando interno, como não houve crescimento proporcional nas instalações que compõem a cadeia de frio, em todos os seus níveis e em todas as medidas necessárias para manutenção adequada do fluxo de circulação e armazenamento, a capacidade da rede “já se encontra comprometida”.

“Com a possibilidade de realização de vacinação em massa contra a Covid-19, há a necessidade urgente de ampliação da capacidade de armazenamento que pode ser realizada pelas seguintes formas: reforma e ampliação do espaço existente, aluguel provisório de um espaço ou de um equipamento compatível (contêiner refrigerado) que atenda às legislações vigentes ou a aquisição de equipamentos de refrigeração”, reforça o texto.

Locais abertos

O documento ressalta ainda que, caso seja autorizada a imunização, os espaços amplos e arejados serão “ideais para evitar aglomerações, portanto escolas, clubes e parques são boas opções, além de tendas nos estacionamentos das UBS [Unidades Básicas de Saúde]”.

Para se ter ideia, neste ano foram entregues 187 câmaras de vacina de 400 litros às UBS que possuem serviço de vacinação e às Rede de Frio Regionais, em substituição às geladeiras domésticas.

“Com isso, a capacidade de armazenamento deles foi suprida. Porém, com a substituição das geladeiras domésticas, muitas UBS ficaram sem equipamentos para congelar as bobinas de gelo recicláveis, item essencial para realização da vacinação diária, bem como das campanhas. Portanto, é necessário que o processo referente à aquisição de freezers para as UBS seja priorizado”, concluiu o texto.

O que diz a Secretaria de Saúde?

Acionada pelo Metrópoles nessa segunda-feira (7/12), a Secretaria de Saúde listou as providências que vem adotando para garantir a imunização dos brasilienses.

Confira: 

  1. Está em fase de desenvolvido um amplo planejamento sobre a estratégia de vacinação da população do Distrito Federal contra o coronavírus.
  2. O Plano Estratégico prevê: realização de inquérito soroepidemiológico (em andamento) para conhecer o comportamento do vírus em todo o DF; levantamento dos espaços da rede pública de saúde e de outras instalações do GDF para servir como postos de vacinação; estruturação desses locais para receber e armazenar as vacinas; estruturação do setor de compras públicas, objetivando a aquisição de seringas e contratação de câmaras frigoríficas; e seleção de profissionais de saúde da própria rede pública para a aplicação das vacinas.
  3. A Secretaria de Saúde vem acompanhando as medidas anunciadas pelo Ministério da Saúde sobre a compra e a aplicação da vacina no Brasil, e atuando previamente, dentro de suas atribuições, para que a campanha de vacinação seja executada com êxito em todo o Distrito Federal.

Saiba mais sobre o desenvolvimento de vacinas: 

0

Últimas notícias