Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

DF é 2º lugar em ranking de transparência de gastos no combate à Covid-19

Espírito Santo é o primeiro da lista. São Paulo e Roraima tiveram as piores avaliações, segundo a entidade Transparência Internacional

atualizado 21/05/2020 15:54

O Governo do Distrito Federal (GDF) conquistou o segundo lugar na lista que pontua todas as unidades da Federação quando o assunto é divulgação das informações sobre o combate à pandemia do novo coronavírus.

O ranking da Transparência Internacional foi divulgado nesta quinta-feira (21/05) e é liderado pelo Espírito Santo, o mais pontuado dentro dos critérios estabelecidos pela organização mundial. Os estados de São Paulo e Roraima foram os menos transparentes, segundo a pesquisa.

O estudo identifica e promove as melhores práticas de transparência de informações referentes às contratações emergenciais realizadas em resposta à Covid-19. Foram colhidos dados dos 26 estados e suas capitais, além do Distrito Federal e, a partir do material, realizado um comparativo entre as localidades.

“Essa é uma vitória de toda a população brasiliense e do Governo do Distrito Federal, que demonstra mais uma vez o seu compromisso com a transparência e o controle social dos recursos públicos, mesmo em tempos de emergência como o que temos vivido”, declarou o secretário da Controladoria-Geral do DF, Paulo Martins.

A CGDF é a coordenadora do Portal Covid-19, criado para dar publicidade às ações do governo local durante a fase de combate ao coronavírus.

Pontuação

A escala do ranking vai de zero a 100 pontos, na qual zero (péssimo) significa que o ente é avaliado como totalmente opaco, e 100 (ótimo) indica que ele oferece alto grau de transparência.

Segundo a entidade, o Espírito Santo alcançou 97,4 pontos. O Distrito Federal teve 88,61; Goiás pontuou com 84,8; e Paraná, 81. A partir da marca alcançada, esses foram os quatro únicos locais considerados com nível “ótimo” de transparência para contratações emergenciais na pandemia.

Já entre as capitais, os destaques ficaram com João Pessoa (PB) e Goiânia (GO), com 88,6 e 83,5 pontos, respectivamente. Elas foram as duas únicas cidades pesquisadas que se enquadraram na categoria “ótimo”.

Praticamente metade dos estados obteve pontuação classificada como ótima ou boa. A outra metade teve notas que apontaram transparência regular ou ruim. Nenhum se enquadrou na categoria “péssimo”. Porém, a transparência de dois estados foi considerada ruim: Roraima e o estado mais rico do Brasil, São Paulo.

Critérios

Os critérios de avaliação do ranking se basearam no guia de Recomendações para Transparência de Contratações Emergenciais em Resposta à Covid-19 , lançado há duas semanas, e que foi produzido de forma conjunta pela Transparência Internacional – Brasil e o Tribunal de Conta da União (TCU).

Para a construção do ranking, a Transparência Internacional definiu critérios objetivos e avaliou em que medida a divulgação de informações acontece em cada localidade, tendo como base ser feita da forma clara, fácil e acessível.

0
Transparência Internacional

A Transparência Internacional (TI) é um movimento global que atua de forma fiscalizatória na atuação de governos em todos os âmbitos. “A presença global da TI nos permite defender iniciativas e legislações contra a corrupção e que governos e empresas efetivamente se submetam a elas. Nossa rede também significa colaboração e inovação, o que nos dá condições privilegiadas para desenvolver e testar novas soluções anticorrupção”, informa a entidade.

Últimas notícias