Deputado Luis Miranda diz que recebe “uma nova denúncia a cada hora”

Deputado federal foi responsável por revelar em CPI depoimento sobre suposta corrupção na compra da Covaxin pelo Ministério da Saúde

O deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) afirmou, nesta segunda-feira (5/7), que está “recebendo uma nova denúncia a cada hora”. A declaração ao Metrópoles ocorreu após a empresa Davati desmentir que o policial militar Luiz Paulo Dominguetti tivesse poder “para negociar ou alterar a oferta em nome da empresa”.

A Davati é suspeita de integrar um suposto esquema de corrupção com pagamento de propina para um funcionário do Ministério da Saúde, que acabou exonerado pelo ministro Marcelo Queiroga. A empresa também negou ser representante comercial da farmacêutica AstraZeneca.

“Está uma loucura as denúncias que eu dei início. Estou recebendo uma nova a cada hora”, afirmou o parlamentar.

Dominghetti foi ouvido pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid na última sexta-feira (3/5), após ter denunciado para o jornal Folha de S. Paulo um suposto pedido de propina por um diretor do Ministério da Saúde.

À CPI do Senado o policial militar afirmou que o ex-diretor de Logística da pasta, Roberto Dias, teria solicitado US$ 1 por cada dose da vacina da AstraZeneca negociada pela empresa com o Brasil. Dominguetti disse que representou a Davati, mas apenas com um “contrato de boca”, informal, “um acordo de cavalheiros”.

Durante a oitiva, o depoente também deu a entender que o próprio deputado Luis Miranda, responsável por outra denúncia – esta sobre a compra da indiana Covaxin – teria negociado também a compra de vacinas. Contudo, a história foi desmentida na própria sessão após os senadores comprovarem que o áudio exibido pelo policial estava fora de contexto e seria do ano de 2020.