Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Com queda no isolamento, Saúde do DF reforça: fiquem em casa

Durante coletiva nesta quinta, o secretário Francisco Araújo disse ainda que a pasta trabalha para entregar os hospitais de campanha

atualizado 23/04/2020 20:01

Hugo Barreto/Metrópoles

Durante a coletiva realizada na tarde desta quinta-feira (23/04), os gestores da Secretaria de Saúde defenderam o isolamento no Distrito Federal como forma de conter a propagação do novo coronavírus.

Conforme explicou Eduardo Hage, subsecretário de Vigilância à Saúde, o índice de isolamento na capital do país tem se situado em 55%, longe do ideal, na visão do especialista. “O bom seria algo próximo de 70%. Nossa mensagem é que as pessoas permaneçam em casa e evitem aglomerações.”

Na entrevista, o secretário de Saúde, Francisco Araújo, afirmou que a construção dos hospitais de campanha do GDF está dentro do cronograma previsto, incluindo o do Estádio Mané Garrincha.

A pasta havia anunciado que a unidade temporária ficaria pronta até o último dia 14, mas o contrato sem licitação com a Contarpp, de R$ 5 milhões, foi assinado em 10 de abril. As obras começaram no dia seguinte, sábado (11/04), de acordo com a empresa.

“Temos, hoje, leitos que estão reservados para pacientes com Covid-19 e há, ainda, um número muito maior sem uso. Por isso, não há por que inquietar a população. Há uma previsão para a parte da estrutura fique pronta no dia 3 de maio. Será no tempo que está planejado. O que importa hoje é que nós temos o controle da situação. Do ponto de vista da saúde, o que é ter controle da situação? É quando temos mais leitos do que o número de pessoas internadas”, pontuou, ao anunciar 20 novos leitos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Sebastião.

Segundo ele, atualmente, há 27 pacientes de Covid-19 internados em hospitais públicos. A expectativa é que o número de leitos disponíveis chegue a 391 daqui a três semanas.

Isolamento social

Durante a entrevista, Araújo tranquilizou a população após o órgão confirmar erros no resultados de oito testes realizados desde terça-feira (21/04) no Distrito Federal. Durante coletiva à imprensa, o titular da pasta afirmou que a quantidade detectada é natural dentro de um montante considerável de testagem em massa da população.

“A área de saúde não trabalha com erros. Todo mundo sabe que, no teste rápido, é natural que haja uma leitura que tenha que ser feita novamente, mas é muito imaturo e não podemos dizer que isso é um erro e gerar essa insegurança. A secretaria está testando a população para que, dentro de um processo de possível reabertura de algum segmento no futuro, nós tenhamos indicadores. A testagem é um desses indicadores. A gente testa a população para medir, ter conhecimento e aprofundar os estudos e as ações que estamos tratando”, frisou.

Secretário adjunto, Ricardo Tavares Mendes também reforçou o mesmo entendimento. “Todo tipo de teste rápido tem um percentual de falso positivo e de falso negativo. Além disso, o teste rápido é feito com amostragem de sangue, que pode coagular de forma que o exame não consiga ler o resultado de forma adequada. O percentual foi bastante baixo e os testes com problemas foram repetidos de imediato”, esclareceu o número 2 do órgão.

À coluna Grande Angular, do Metrópoles, a Secretaria de Saúde do DF admitiu, ainda nesta quinta-feira, problemas na leitura dos resultados positivos para coronavírus realizados na Uniplan durante o primeiro dia de testagem em massa da população do Distrito Federal.

Todas as 20 pessoas que tiveram o resultado positivo na terça-feira foram convocadas para fazer novo exame na quarta-feira (22/04), de acordo com a pasta. Contudo a secretaria não informou em quantos desses casos há realmente infecção. A coluna apurou que entre os que testaram positivo na Uniplan estavam quatro bombeiros militares, que refizeram o teste e tiveram resultado negativo para a doença.

De acordo com a pasta, os testes foram iniciados em regiões com maior incidência do coronavírus. “Atualmente, são oito pontos. A partir da segunda, serão mais dois pontos (Shopping Iguatemi e Parkshopping) e, posteriormente, vamos fazer a testagens em outras regiões, como Taguatinga, Ceilândia, Gama e Sobradinho, que podem ser as próximas.”

 

Últimas notícias