Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

PT e PSB marcam nova rodada de negociação sobre aliança eleitoral

Integrantes de PT, PSB, PCdoB e PV terão ao menos duas reuniões nesta semana para discutir formação de uma federação entre as siglas

atualizado 24/01/2022 18:00

Rafaela Felicciano/Metrópoles

PT e PSB voltarão, nesta semana, à mesa de negociações sobre a formação de uma federação partidária entre eles para as eleições deste ano.

Segundo apurou a coluna, as siglas deverão ter ao menos duas reuniões nos próximos dias para tentar superar os impasses que, até o momento, impedem o acordo.

Os encontros também devem reunir representantes do PCdoB e do PV, dois outros partidos interessados em participar da aliança eleitoral com PT e PSB.

0

A primeira reunião está marcada para quarta-feira (26/1) e terá como objetivo discutir aspectos técnicos para a formação e funcionamento da federação.

Um segundo encontro, dessa vez para discussão política, está previsto para a quinta-feira (27/1).  O encontro será entre os dirigentes de Pernambuco dos quatros partidos para debater a federação local, e ainda deve ter a presença remota de dirigentes nacionais, como os presidente do PSB, Carlos Siqueira, e do PT, Gleisi Hoffmann.

Na última semana, caciques das duas legendas se reuniram na quinta-feira (20/1), em Brasília. À coluna, dirigentes do PSB avaliaram que houve apenas “avanços tímidos” para a solução de entraves.

As siglas conseguiram chegar a possíveis soluções nos palanques do Rio de Janeiro, Pernambuco, Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Piauí e Rio Grande do Norte e encaminharam propostas para Alagoas e Maranhão.

Entretanto, não houve avanços nos acordos em São Paulo e Rio Grande do Sul, estados em que ambas as legendas alegam ter nomes viáveis para os governos estaduais.

Também não houve consenso sobre as regras para escolhas de candidatos do grupo para as eleições municipais de 2024. Como federação, os partidos terão de funcionar como uma única sigla pelos próximos quatro anos.

Diante disso, o PSB quer definir já agora regras que lhe garantam uma fatia justa na divisão das candidaturas para prefeituras e câmaras de vereadores, para impedir que o PT domine as escolhas.

Caso a federação seja acertada, são grandes as chances de o ex-governador Geraldo Alckmin se filiar ao PSB para ser o candidato a vice-presidente de Lula na disputa ao Palácio do Planalto deste ano.

Mais lidas
Últimas notícias