Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi e Victoria Abel

Novo embaixador do Brasil na Argentina foi perseguido por Ernesto Araújo

Novo embaixador do Brasil na Argentina, Julio Bitelli sofreu retaliações no Itamaraty durante a gestão do ex-chanceler Ernesto Araújo

atualizado 24/01/2023 13:20

Ernesto Araújo ministro do Itamaraty no governo bolsonaro pede demissão Rafaela Felicciano/Metrópoles

Buenos Aires — Indicado pelo governo Lula para ser o novo embaixador do Brasil na Argentina, o diplomata Julio Bitelli foi perseguido pelo ex-chanceler Ernesto Araújo durante o governo Jair Bolsonaro.

Ernesto e Bitelli trabalharam juntos no gabinete do ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, quando o atual chanceler de Lula ocupava o mesmo cargo no governo Dilma Rousseff (2015-2016).

Após assumir a chefia do Itamaraty, na gestão Bolsonaro, Ernesto retaliou Bitelli, removendo o diplomata da embaixada do Brasil na Colômbia para enviá-lo para a Mauritânia, país pequeno da África.

Aliados de Bitelli, então, intercederem, e Ernesto indicou o diplomata para o Marrocos, posto considerado “menos pior” que a Mauritânia. A indicação foi aprovada pelo Senado brasileiro em agosto de 2019.

Para amigos de Bitelli, embaixadas em países da África não estariam a altura da experiência do diplomata, que já foi embaixador na Colômbia (2016-2019) e ministro-conselheiro em Buenos Aires (2010-2013).

Bitelli, como noticiou a coluna, é muito próximo ao atual ministro das Relações Exteriores, de quem foi chefe de gabinete no Itamaraty durante o segundo governo Dilma.

O novo embaixador em Buenos Aires, Julio Glinternick Bitelli
Diplomata Julio Glinternick Bitelli foi indicado para ser o novo embaixador do Brasil na Argentina

Mais lidas
Últimas notícias