Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi e Victoria Abel

Insatisfeita, ala do PSB defende recusar ministério oferecido por Lula

Mirando um ministério "político", parte do PSB defende que partido recuse oferta de Lula para assumir Ministério de Ciência e Tecnologia

atualizado 09/12/2022 21:28

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Uma ala do PSB passou a defender, nos bastidores, que o partido recuse a possível oferta de Lula para a legenda indicar o futuro ministro da Ciência e Tecnologia.

O argumento desses pessebistas é de que, por ter o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, a legenda merece ter um ministério com capilaridade política.

O alvo do PSB é o Ministério das Cidades, responsável por programas como o “Minha Casa, Minha Vida”. Para a pasta, a sigla quer indicar o ex-governador paulista Márcio França.

O desejo foi expresso pelo PSB diretamente a Lula durante uma reunião de lideranças do partido com o presidente eleito na terça-feira (6/12), em Brasília.

O discurso de pessebistas é de que um “ministério político” seria vital para que o partido “não morrer” – nas eleições deste ano, a sigla elegeu apenas 14 deputados federais.

“Cota pessoal”

Para lideranças do PSB, a indicação do senador eleito Flávio Dino para o Ministério da Justiça, anunciada nesta sexta-feira (9/12), deveria ser considerada como “cota pessoal” de Lula.

Petistas, porém, rebatem essa tese. Dizem que Dino é, sim, cota do PSB e que o partido não tem estatura para ter grandes pastas, por ter eleito poucos deputados.

Após a publicação da nota, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, procurou a coluna e disse que o comando da legenda não compartilha do pensamento desses integrantes da sigla.

”Não faz nenhum sentido. A gente respeita a autonomia do presidente Lula de definir seus futuros ministros”, afirmou o dirigente.

Mais lidas
Últimas notícias