Cúpula do PP vê Bolsonaro “inseguro” para decidir futuro partido

Presidente da República avalia ao menos três opções de legenda para se filiar: o Progressistas, o PL e o Republicanos

A cúpula do Progressistas avalia que o presidente Jair Bolsonaro ainda não bateu o martelo sobre o partido ao qual se filiará para disputar a reeleição em 2022 porque estaria “inseguro”.

A avaliação na sigla comandada pelo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, é de que essa insegurança de Bolsonaro teria aumentado após as ameaças do PL de deixar a base aliada, caso o presidente não se filie à sigla.

Dirigentes do Progressistas avaliam que o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, tem tentado persuadir Bolsonaro a se filiar à legenda de forma “agressiva”.

Nos bastidores, dirigentes do PL teriam mandado recados ao Palácio do Planalto de que o partido pode desembarcar do governo, caso o presidente da República opte por outra sigla.

Em entrevista a jornalistas na segunda-feira (1º/11) na Itália, Bolsonaro afirmou “namorar” três partidos e que “cada dia 1 está na frente na bolsa de apostas”. Além do PP e do PL, citou o Republicanos.

O chefe do Palácio do Planalto ponderou, contudo, que ainda não tomou a decisão para que as “outras duas namoradas” não fiquem “muito chateadas comigo”.