Alckmin se reúne com cúpula do PSL para discutir possível filiação

Ex-governador abriu negociação para ser candidato ao governo paulista em 2022 pelo partido que resultará da fusão entre DEM e PSL

Decidido a deixar o PSDB, o ex-governador Geraldo Alckmin sinalizou nessa quarta-feira (29/9) que sua possível filiação ao PSD ainda não está 100% decidida, como a cúpula do partido de Gilberto Kassab tem dito.

Na noite dessa quarta, o ex-governador tucano se reuniu por cerca de três horas, em São Paulo, com o deputado federal Júnior Bozzella (SP), vice-presidente tanto estadual quanto nacional do PSL.

Segundo apurou a coluna, o principal assunto do encontro foi a possível filiação de Alckmin ao partido que resultará da fusão do PSL com o DEM, que provavelmente se chamará “União Brasil” e adotará o número 44.

A Alckmin Bozzella ressaltou que a futura sigla tem outras duas negociações abertas para a disputa pelo governo de São Paulo em 2022, quando o ex-governador pretende ser candidato ao Palácio dos Bandeirantes.

Além do próprio Alckmin, a nova legenda negocia possível apoio ao atual vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB) e ao candidato que será apoiado pelo MBL (Movimento Brasil Livre).

Bozella ponderou que a nova sigla só deve tomar uma decisão sobre São Paulo quando o cenário para a disputa ao Palácio do Planalto estiver mais definido. O próprio Alckmin colocou que também negocia filiação ao PSD.

O encontro presencial entre o ex-governador e Bozzella foi pelo menos a segunda conversa entre eles. Nas últimas semanas, o deputado já havia conversado com Alckmin por telefone e por meio de interlocutores.