Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

UPAs do Rio têm pisos afundados, tetos rachados e vazamentos

Falta de investimento de Crivella na Saúde sucatearam as Unidades de Pronto Atendimento que eram referências nacionais

atualizado 24/07/2021 18:02

Piso afundado, com remendos e contrapiso a mostra, teto rachado e com vazamentos. Esta é a situação de diversas Unidades de Pronto Atendimento (UPA), vitrine dos governos Sergio Cabral e Luiz Fernando Pezão, no estado do Rio de Janeiro. Relatórios obtidos pela coluna mostram que os problemas causam proliferação de doenças no ambiente hospitalar, goteiras e infiltrações dentro das unidades.

Os problemas estão presentes em pelo menos 30 unidades. Além dos danos na infraestrutura, o levantamento da Secretaria estadual de Saúde, que vem sendo feito desde 2019, mostra também aparelhos de ar condicionado quebrados, encaixados em vãos abertos nas paredes, e reservatórios de água corroídos pela ferrugem.

0

Com a falta de investimentos do governo Crivella na Saúde, as UPAs cariocas, que eram referências nacionais, ficaram sucateadas e por várias vezes tiveram que interromper atendimentos. Agora, o governo estadual prepara um plano de diretrizes para recuperar as UPAs.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna