Busca

Podemos libera voto em Lula e em Bolsonaro no 2º turno

No primeiro turno, partido apoiou Simone Tebet, do MDB

O Podemos decidiu nesta quinta-feira (6/10) liberar seus filiados para apoiar Lula ou Jair Bolsonaro no segundo turno presidencial. A autonomia dos filiados valerá também para as eleições estaduais.

“Em respeito às realidades regionais, no segundo turno o partido definiu pela liberação de seus dirigentes, prefeitos, parlamentares e filiados para o apoio às candidaturas estaduais e presidencial”, disse o partido.

No primeiro turno presidencial, o Podemos apoiou a senadora Simone Tebet, do MDB, que nesta quarta-feira (5/10) declarou apoio a Lula.

Na quarta-feira (5/10), o União Brasil e o MDB também haviam liberado seus filiados para apoiarem Lula ou Jair Bolsonaro. O PSD caminha para fazer o mesmo. Por enquanto, Lula recebeu apoios partidários do PDT e do Cidadania, enquanto Bolsonaro não foi apoiado por nenhuma sigla.

O presidente fez duas novas alianças importantes, com o reeleito Romeu Zema, de Minas Gerais, e o derrotado Rodrigo Garcia, de São Paulo, que, até dezembro, comanda a máquina estadual.

Lula, por sua vez, recebeu o apoio de Simone Tebet, do MDB, e de Ciro Gomes, do PDT, que ficaram em terceiro e quarto lugar na eleição de primeiro turno ao Planalto, respectivamente. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também pediu voto em Lula. Os economistas que criaram o Plano Real também estão em peso com Lula, a exemplo de Persio Arida, Edmar Bacha, Pedro Malan e Armínio Fraga. O governador do Pará, Helder Barbalho, mais votado do país, idem.

Sair da versão mobile