Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

O que pensa o conselheiro econômico de Ciro Gomes sobre a Petrobras

Nelson Marconi, professor da FGV, defende o fim da política de venda de ativos na estatal e a diminuição do lucro para aumentar investimento

atualizado 26/03/2022 9:17

Ciro GomesGustavo Moreno/Especial Metrópoles

Um dos principais conselheiros econômicos de Ciro Gomes, o professor da FGV Nelson Marconi, defende que a Petrobras interrompa a sua política de venda de ativos e modere seu lucro, reinvestindo parte dele em projetos que contribuam para o desenvolvimento do Brasil.

Marconi é um crítico do modelo atual adotado pela estatal, que vende ativos e foca a atuação na extração de petróleo, buscando a maximização dos lucros.

Para Marconi, a Petrobras continuaria sendo lucrativa, mas parte do lucro seria utilizado em novos investimentos.

O professor também é crítico ao acordo que a petroleira firmou com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que levou à venda de refinarias, entre outros ativos.

Isso porque, na visão de Marconi, as refinarias são monopolistas locais, e passá-las para o setor privado levaria a um aumento de preços.

A Petrobras vendeu a refinaria de Landulpho Alves, na Bahia, para o fundo Mubadala. Depois disso, donos de postos no estado entraram no Cade com um processo se queixando do aumento do valor do combustível cobrado pela companhia.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna