Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

MP apura assédio a chef obrigado a provar comida antes de Bolsonaro

Cozinheiro na Paraíba foi obrigado por servidores da Presidência a provar a própria comida antes de Bolsonaro comer

atualizado 11/05/2022 21:46

Mayara Oliveira/Metrópoles

Depois de um cozinheiro ter sido obrigado por servidores da Presidência da República a provar a própria comida antes de Jair Bolsonaro comer, o Ministério Público do Trabalho (MPT) na Paraíba instaurou inquérito para investigar se o episódio configura caso de assédio moral.

A denúncia chegou às mãos da procuradora Marcela Asfora, que responde interinamente pela chefia do MPT no estado, e foi repassada à procuradora Mylena Alencar.

O Ministério Público recebeu a denúncia do caso por meio de uma notícia de fato, de número 000530.2022.13.000/1, que será direcionada a um procurador da equipe de Asfora. O objetivo é apurar se o cozinheiro foi vítima de assédio moral por parte da Presidência, que alegou que a prática seria uma praxe, a fim de evitar o envenenamento de Bolsonaro.

O episódio envolvendo o cozinheiro do restaurante Formaggio 43 foi revelado pelo jornalista Maurílio Júnior e confirmado pela coluna com funcionários estabelecimento.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna