Extremista do 300 do Brasil recebeu auxílio emergencial

Daniel Miguel foi preso no âmbito do inquérito dos atos antidemocráticos

Daniel Miguel, ativista do grupo extremista 300 do Brasil alvo da PF, recebeu pelo menos R$ 600 de auxílio emergencial do governo federal enquanto acampava em Brasília, em abril do ano passado. O pagamento foi identificado pela Polícia Federal no âmbito do inquérito dos atos antidemocráticos.

A investigação também apontou conversas por mensagens entre Miguel e a extremista Sara Giromini em abril e maio de 2020. Em uma delas, em 11 de maio, Daniel Miguel pede que Giromini deposite R$ 7 mil com urgência em uma conta para alugar uma casa em Brasília. No mês seguinte, ambos foram presos por ordem de Alexandre de Moraes.

Autointitulado Daniel Ativista nas redes sociais, Miguel faz o oposto de Sara Giromini: segue defendendo fervorosamente o governo Bolsonaro. Procurado, Daniel Miguel não respondeu.