Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Cade decide dia 15 se autoriza ou não venda da Unidas para Localiza

Faltam menos de 20 dias para o Cade decidir sobre a operação entre as locadoras de carros e o tribunal administrativo está dividido

atualizado 26/11/2021 20:46

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidirá em 15 de dezembro se autoriza ou não a venda da Unidas para a Localiza. Faltando menos de 20 dias para o julgamento, o tribunal administrativo do Cade ainda não chegou a um acordo sobre como encaminhar a questão.

Nos seminários internos realizados pelos conselheiros, ainda não foi formada uma tendência clara sobre o caminho a ser seguido. As empresas aceitariam vender a marca Unidas e até 30 mil veículos. Entretanto, isso não seria suficiente para a relatora do caso, a conselheira Lenisa Prado.

Com o impasse entre o que as empresas estão dispostas a fazer e o que quer a relatora do caso, a solução para viabilizar a operação passaria por vendas maiores. Ainda há tempo para isso, mas a atual divisão do plenário dificulta a atuação das empresas.

A conselheira Paula Farani de Azevedo tem um padrão de voto semelhante ao de Lenisa. No outro lado estão o presidente do Cade, Alexandre Cordeiro, e o conselheiro Luiz Augusto Hoffmann, que têm visões parecidas. O conselheiro Luis Braido se declarou suspeito. Assim, caso a divisão existente no Cade persista, o voto de minerva ficaria com o conselheiro Sergio Ravagnani.

0

A compra da Unidas pela Localiza foi notificada ao Cade em 11 de janeiro deste ano. A Localiza foi fundada por Salim Mattar, ex-secretário de Desestatização, Desinvestimentos e Mercados do ministro Paulo Guedes. Ele deixou o governo em agosto de 2020 insatisfeito com a demora do governo federal em privatizar estatais.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna