Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Bolsonaro não pretende demitir ministro que favoreceu pastores

Apesar da pressão exercida pela saída de Milton Ribeiro, Bolsonaro defendeu o ministro da Educação

atualizado 22/03/2022 17:54

Bolsonaro e Milton Ribeiro assinam novo reajuste para professores da educação básica 0Rafaela Felicciano/Metrópoles

Se depender de Jair Bolsonaro, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, ficará onde está. O entendimento de Bolsonaro é que o episódio “só fortaleceu” Ribeiro, nas palavras de um dos interlocutores de maior confiança do presidente.

Bolsonaro entende que o ministro sairá fortalecido do episódio, porque o caso demonstraria, na visão dele, que o ministro se preocupa com municípios pobres e atende devidamente à base bolsonarista evangélica.

O Centrão pressiona por uma troca no comando do Ministério da Educação desde que o escândalo do gabinete paralelo de pastores foi revelado pelos repórteres Breno Pires, Felipe Frazão e Julia Affonso. A bancada evangélica no Congresso também discute o futuro de Ribeiro.

Em nota, Ribeiro negou ter favorecido pastores na distribuição de verbas do ministério e rechaçou o envolvimento de Bolsonaro em irregularidades. Um áudio mostra Ribeiro dizendo que o apoio preferencial seria consequência de um pedido direto de Bolsonaro.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna