Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

A volta do clássico de Pierre Verger sobre o tráfico negreiro

Em "Fluxo e refluxo", antropólogo conta o que descobriu sobre as negociações feitas entre os dois lados do Atlântico

atualizado 30/07/2021 11:50

Divulgação/Itaú Cultural

Há anos fora das prateleiras brasileiras, o clássico Fluxo e refluxo acaba de ganhar uma nova edição no Brasil, desta vez pela Companhia das Letras.

Lançado em 1966 como a tese de doutorado do antropólogo e etnólogo Pierre Verger na Universidade Sorbonne, o livro é resultado de 20 anos de pesquisa e se tornou uma referência sobre o tráfico de escravos no Atlântico.

No estudo, Verger relata as várias viagens que fez entre a África Ocidental e a Bahia e mostra o que descobriu sobre as negociações feitas entre os dois lados do oceano. Conta também como ficou impressionado com os costumes e laços comuns entre os países dos dois continentes.

A nova edição traz posfácio inédito do historiador João José Reis.

 

 

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna