Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Senado cria frente para apoiar consórcio que reúne DF e seis estados

A Frente Parlamentar em Apoio ao Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central conta com 21 senadores e 75 deputados federais

atualizado 12/03/2021 10:56

sessão de posse dos presidentes do Senado e Câmara do Deputados, no Congresso Nacional 3Igo Estrela/Metrópoles

O Senado Federal aprovou, na última quinta-feira (11/3), a criação da Frente Parlamentar em Apoio ao Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central. Objeto do novo colegiado, o consórcio é presidido pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), e reúne representantes do DF, de Goiás, do Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, de Rondônia e Tocantins.

Autora do projeto aprovado, a senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) disse que a nova frente parlamentar vai trabalhar em ações integradas para que as sete unidades da Federação possam crescer e avançar nas áreas de logística, infraestrutura, negócios e social. O colegiado reúne 21 senadores e 75 deputados federais.

“O Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central tem como principal objetivo promover o desenvolvimento econômico e social de forma organizada, sistematizada e sustentada. A criação dessa frente propiciará defesa estruturada dos seus legítimos interesses no âmbito do Senado, tudo na ótica dos ideais democráticos e com ampla participação dos parlamentares que se dispuserem a participar dessa iniciativa”, assinalou Soraya.

O Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central (BrC) foi criado em 2015. O governador do DF assumiu a chefia do grupo em 2021 e ficará nesse cargo por um ano.

Segundo o vice-governador do DF e secretário-executivo do BrC, Paco Britto (Avante), com a frente parlamentar será possível atuar a favor das sete unidades da Federação integrantes do consórcio em temas estratégicos e em votações relevantes para essas regiões.

“São inúmeras as possibilidades de atuação desta frente, para além das siglas partidárias. Áreas importantes para economia e desenvolvimento do Distrito Federal, de Goiás, do Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, de Rondônia e Tocantins poderão ser contempladas com projetos de lei, emendas e matérias que poderão surgir no âmbito dessa frente”, afirmou o vice-governador.

Relator do projeto aprovado, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF) pontuou que o colegiado pode contribuir para atuação mais efetiva do BrC e, consequentemente, para o desenvolvimento do DF e os seis estados integrantes do grupo. “Trata-se de uma iniciativa que se agrega a um esforço, inclusive no âmbito do parlamento, para promover o desenvolvimento econômico e social de um conjunto de unidades da Federação que têm assumido um papel cada vez mais relevante no cenário nacional”, pontuou.

Últimas notícias