Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Manoelzinho do Táxi perde autorização de taxista: “Deixei acontecer”

Após 45 anos, Manoelzinho do Táxi não fez recadastramento para prestação de serviço de táxi e teve autorização cassada

atualizado 07/12/2021 12:22

Homem fala em microfoneJocil Serra/Agencia Phocus

O conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) Manoel Paulo de Andrade Neto, conhecido como Manoelzinho do Táxi, não tem mais autorização para prestação de serviço de táxi na capital federal.

Depois de 45 anos com a permissão, Manoelzinho não fez o recadastramento e teve a autorização cassada, em portaria publicada pela Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob), nesta terça-feira (7/12).

Manoelzinho tornou-se conselheiro do TCDF no ano 2000. Desde então, ele não pôde mais ser taxista. Porém, mantinha a autorização em seu nome e outras pessoas a utilizavam. Foi assim com familiares e amigos dele.

À coluna Grande Angular Manoelzinho do Táxi disse que essa ligação formal com sua origem gerou “inveja e despeito de autoridades políticas”. Ele citou, por exemplo, a denúncia de que cometeu prevaricação ao reter em seu gabinete, por um ano, processo sobre transferência de permissões de táxi. Em julho deste ano, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) absolveu o conselheiro.

“Não vale a pena mais, não compensa. Não me tomaram a autorização: eu que deixei levar. Deixei acontecer. Eu estou muito satisfeito. Vou guardar comigo as boas recordações e não vou deixar de interagir com meus amigos”, afirmou.

A permissão de Manoelzinho foi cassada junto a outras 84. Segundo a portaria da Semob publicada nesta terça-feira (7/12), as autorizações foram canceladas por não atenderem à determinação de recadastramento que foi regulamentado em 2016.

0

Manoelzinho tomou posse no TCDF em julho de 2000, mas sempre manteve a permissão para taxista. Antes de tornar-se conselheiro, atuou representando a categoria, como presidente do Sindicato dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários do DF, vice-presidente da Federação Nacional dos Condutores Autônomos e Transportadores Autônomos de Bens e diretor da Confederação dos Transportes. Manoelzinho também foi deputado distrital e secretário de Administração do DF.

Mais lidas
Últimas notícias